Grêmio mantém data da eleição e rejeita pedido de adiamento da oposição

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Reprodução/Lucas Uebel/Grêmio

    Candidatos à presidência do Grêmio, Raul Mendes (e) e Romildo Bolzan Júnior (d)

    Candidatos à presidência do Grêmio, Raul Mendes (e) e Romildo Bolzan Júnior (d)

A Comissão Eleitoral do Grêmio rejeitou o pedido da chapa de oposição na eleição presidencial do clube, que solicitou oficialmente o adiamento do pleito. Com a decisão, a escolha dos associados entre Romildo Bolzan Júnior e Raul Mendes está mantida para 12 de novembro. 

A solicitação da chapa de oposição foi protocolada na noite de quinta-feira. O objetivo era adiar a eleição para após a final da Copa do Brasil. Segundo membros da chapa, não é possível debater a gestão do clube sem tirar o foco da decisão do torneio, que ocorre nos dias 23 e 30 de novembro. 
 
Mas a Comissão Eleitoral gremista acabou rejeitando a solicitação. O Estatuto do Grêmio prevê que a eleição presidencial ocorra sempre na primeira quinzena de novembro e baseado nisso a negativa foi dada.
 
Tanto que a chapa oposicionista já programou para segunda-feira a apresentação de seu departamento de futebol e das propostas concretas para o clube. Um evento irá revelar as ideias do ex-lateral Raul, em entrevista coletiva. 
 
Atual presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Júnior já definiu que não participará de qualquer debate ou mesmo responderá perguntas sobre as eleições. Segundo ele, tal conduta visa apenas manter foco absoluto na final da Copa do Brasil. 
 
A eleição presidencial do Grêmio terá participação dos associados e ocorrerá através de votos pela internet ou presenciais em 12 de novembro. O eleito comandará o clube pelos próximos três anos. 
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos