Marquinhos pede jogo perfeito e 'atenção a todos' para vencer Argentina

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Pedro Martins/MoWA Press

    Para zagueiro, defesa precisa se preocupar com Messi sem descuidar de companheiros

    Para zagueiro, defesa precisa se preocupar com Messi sem descuidar de companheiros

A partida Brasil x Argentina desta quinta-feira marca a volta de Lionel Messi à seleção argentina. O camisa 10 havia anunciado sua aposentadoria da equipe após a Copa América centenário, em junho, mas repensou o adeus e aceitou a convocação do técnico Edgardo Bauza.

Entretanto, Messi não é a única ameaça à defesa do Brasil na partida. Segundo o zagueiro Marquinhos, a seleção brasileira precisa neutralizar também as outras opções ofensivas da Argentina se quiser derrotar os rivais no Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte.

"Messi é diferenciado, mas não podemos esquecer do poder ofensivo da Argentina. Outros também podem fazer a diferença", disse o defensor do Paris Saint-Germain, em entrevista coletiva.

"Estamos treinando para tentar anular a Argentina por todos os lados do campo. Se a gente jogar compacto, fechando linhas de passe, dobrando a marcação, isso que vamos fazer para tentar diminuir as ações dessa força ofensiva deles", acrescentou.

Apesar do destaque dado a todo o setor ofensivo do time comandado por Edgardo Bauza, Marquinhos dedicou elogios particulares da Messi. Por clubes, os dois se enfrentaram pela última vez em competições internacionais nas quartas de final da Liga dos Campeões 2014/2015, quando o time espanhol venceu os dois jogos (3 a 1 na França e 2 a 0 em casa) e avançou.

"É diferenciado, o melhor na minha opinião. Temos que fazer o jogo perfeito. O mínimo erro pode gerar algo para ele. Temos que ter o discernimento não para anular, mas de uma certa forma diminuir as ações dele. Estamos trabalhando bem o sistema defensivo para isso. Não podemos esquecer dos outros. É uma seleção muito qualificada", analisou.

Quem também pediu atenção a Messi foi o lateral Daniel Alves, da Juventus. O jogador – que atuará com a camisa 4 no jogo contra a Argentina – foi companheiro de equipe do camisa 10 por oito anos, entre 2008 e 2016, e acredita que o técnico Tite precisará de uma boa estratégia para marcar o ataque rival.

"Felizmente temos um técnico muito preparado e cuidador dos detalhes. Já foram passadas todas as informações de como jogar contra um atleta desse nível (Messi). Jogar de um para um é desvantagem. Mais do que nunca se requer um jogo coletivo quando se enfrenta um jogador dessa qualidade", destacou.

Para Marquinhos, se a defesa fizer bem seu trabalho, ajudará o ataque a levar a melhor no clássico. "Temos que ter qualidade na saída, esse passe qualificado. Se formos inteligentes o suficiente de rodar a bola e encontrar os espaços, podemos ter sucesso", disse.

Brasil e Argentina se enfrentam nesta quinta-feira (10), às 21h45 (horário de Brasília), pela 11ª rodada das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. O Brasil lidera a chave, com 21 pontos em 10 jogos, enquanto a Argentina é sexta, com 16 pontos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos