Vasco prepara retorno de Cristóvão para 2017; Luxa corre por fora

Bruno Braz e Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Fotomontagem: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br e Robson Ventura/Folhapress

Já há um consenso: o trabalho de Jorginho está chegando ao fim da linha no Vasco. O clube está desacreditado na continuidade do projeto para 2017 e articula o retorno de Cristóvão Borges para o comando da equipe na próxima temporada.

O treinador, que realizou o último trabalho no Corinthians nesse Brasileiro, possui um forte lobby nos corredores de São Januário e tem a seu favor o fato de já conhecer o clube, onde iniciou em 2011 como auxiliar de Ricardo Gomes e saiu como treinador no fim de 2012.

De perfil educado, conta com a simpatia dos funcionários que continuaram após a troca de comando na presidência entre Roberto Dinamite e Eurico Miranda, embora tenha um foco de resistência em parte da torcida.

Apesar de ser um nome que agrada, Cristóvão ainda não recebeu uma proposta oficial em virtude da situação preocupante do Vasco na Série B. Por conta disso, está descartada a mudança no cargo antes dos três últimos jogos na competição contra Bragantino, Criciúma e Ceará.

Pelo Vasco, Cristóvão Borges foi campeão da Copa do Brasil de 2011 como auxiliar e vice brasileiro no mesmo ano, quando assumiu o time após o AVC de Ricardo Gomes.

Oficializado como técnico, Cristóvão passou em seguida - além do Corinthians - por Bahia, Fluminense, Flamengo e Atlético-PR.

No clube paulista, substituiu Tite em 2016 e teve um retrospecto de 7 vitórias, 5 empates e 6 derrotas. 

Luxemburgo corre por fora

Uma corrente menor ainda tenta convencer Eurico Miranda de que a melhor opção é Vanderlei Luxemburgo, que está desempregado desde que deixou o futebol chinês. A escolha pelo experiente treinador, porém, só acontecerá caso as negociações com Cristóvão não evoluam.

Roger Machado, que recentemente deixou o Grêmio, também é um nome que agrada, mas os valores envolvidos na possível transação o afastam de São Januário.

Jogadores negam atrito com Jorginho

Apesar de Jorginho já ter tido um atrito com o zagueiro e capitão Rodrigo, por exemplo, os jogadores negaram às organizadas que estejam fazendo uma espécie de complô para derrubar o treinador.

O diálogo aconteceu na manhã da última quinta-feira (10) no ginásio de São Januário e contou com a presença de cerca de 50 torcedores. Além deste assunto, outros temas foram abordados e houve uma promessa de apoio na reta final.

Fato é que Jorginho já não fala a mesma língua que alguns integrantes do departamento de futebol e só se mantém por opção do presidente Eurico Miranda.

O contrato de Jorginho expira no final desse ano.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos