Dani Alves pede respeito a vida privada de Neymar e vê craque "sensível"

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em São Paulo

  • Pedro Martins/Mowa Press

    Daniel Alves tem sido o porta-voz da seleção brasileira nesta última semana

    Daniel Alves tem sido o porta-voz da seleção brasileira nesta última semana

Amigo particular de Neymar, o lateral Daniel Alves aproveitou um bate papo com a imprensa na tarde deste sábado (12) para comentar o silêncio do craque nos últimos meses em jogos da seleção brasileira.

O "irmão mais velho" serviu como porta-voz do craque. Ele revelou que a opção de Neymar de não conceder entrevistas passa pela chateação do jogador com a "fiscalização" excessiva sobre sua vida privada.

"Às vezes a crítica transcende o campo. Isso mexe com a sensibilidade dele, deixa o Ney sensível. Se falassem apenas do desempenho em campo, ele levaria na boa. Tenho certeza. Se jogou bem, se jogou mal, se perdeu um gol. Mas querem fiscalizar a vida privada, querem regular a maneira como ele aproveita a folga. Essa sensibilidade vem daí, então ele acaba fazendo essa opção de não falar. É um direito dele", argumentou.

Questionado sobre as diferenças de postura entre Neymar e Messi, que falou por quase 30 minutos, após o clássico da última quinta (10), Dani defendeu seu companheiro de seleção.

"É muita pressão que ele sofre aqui. Ele resolveu dar a resposta dentro de campo, e não em microfones. Foi uma decisão valente. Assumiu a responsabilidade e ajudou o Brasil nessa nova fase. Somos obrigados a passar pela zona mista, mas não a falar com vocês [repórteres]. O Messi, por ser capitão, optou por falar dessa vez. Mas ele também quase nunca fala no Barcelona. É algo natural", comentou o lateral.

O incômodo de Neymar com a cobertura de sua vida privada pela mídia também passa pelas constantes notícias envolvendo o problema do jogador com a Justiça espanhola. Desde que o caso veio à tona, o craque tem evitado declarações públicas - exceto em eventos de patrocinadores. 

Sem Neymar diante dos microfones, Daniel Alves tem sido um porta-voz do craque e também da seleção. O capitão no duelo contra a Argentina concedeu três entrevistas nos últimos cinco dias - duas coletivas e uma zona mista após a vitória sobre a Argentina.

Cutucada em Dunga e elogios a Tite

No papo deste sábado, Dano não se limitou a falar do trabalho dentro das quatro linhas. Após comentar a situação de Neymar, abordou o novo momento da seleção, criticou indiretamente o ambiente antigo com Dunga e não poupou elogios a Tite.

""Acho que conseguimos melhorar porque conseguimos entender o que você precisa fazer para jogar bem. O pessoal de cima também entendeu, colocando gente inteligente, rodada, experiente, para administrar o time. Precisávamos de alguém com perspectiva grande, maior. O campo é apenas reflexo de tudo o que há em volta. As coisas mudaram, voltaram a acontecer para melhor. Estamos colhendo frutos, já que os jogadores continuam os mesmos. Mudou pouca coisa, e o que mudou era o necessário", disse.

Por fim, ao ser questionado sobre o seu futebol e o momento em que completa 100 jogos com a camisa da seleção, surpreendeu na resposta e se comparou a uma obra de arte. "Eu costumo dizer que sou um Picasso: se conseguirem me decifrar, vão gostar de mim. Se não, vão dizer não entenderam, que isso não vale o dinheiro".

Quer receber notícias da seleção brasileira de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos