Após arritmia de vice, CBF não terá alta cúpula em jogo da seleção no Peru

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em Lima (Peru)

  • Lucas Figueiredo/CBF

    Coronel Nunes (e) vinha acompanhando a seleção brasileira em todos os jogos de 2016

    Coronel Nunes (e) vinha acompanhando a seleção brasileira em todos os jogos de 2016

Acostumada a não ter a presença do presidente Marco Polo Del Nero em jogos fora do Brasil, a seleção terá outra perda para o duelo contra o Peru, nesta terça-feira (15), em Lima. O vice-presidente da CBF Coronel Nunes não acompanhará a delegação para a partida válida pela 12ª rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018.

Após uma arritmia cardíaca na última quarta (9) que o deixou uma noite internado em um hospital em Belo Horizonte, Nunes foi aconselhado a não embarcar para o Peru. Com isso, nenhum cartola da alta cúpula política da CBF – Del Nero, Nunes e o secretário-geral Walter Feldman– estará em Lima para acompanhar o time do técnico Tite.

Sem o alto escalão da Confederação, caberá a Castellar Neto, presidente da Federação Mineira de Futebol (FMF) e chefe de delegação das rodadas de novembro, representar a entidade em compromissos formais. Além dele, o presidente do Boavista-RJ, João Paulo Magalhães, também cumprirá funções protocolares em nome da CBF. Ele acompanha a equipe a convite da diretoria.

Outro presente a Lima é o vice-presidente Gustavo Feijó. Este, no entanto, perdeu considerável prestígio na Confederação nos últimos meses por conta de envolvimentos em polêmicas - gravações de vídeos para campanha política sem autorização de jogadores e suspeita de participação em escândalo de inscrição irregular investigada pela Polícia Civil do Rio de Janeiro.

Desde que Del Nero assumiu a presidência da CBF, no primeiro semestre de 2015, esta será a primeira partida sem um membro colado a Marco Polo nos jogos da seleção. Ainda que Del Nero evite as viagens ao exterior por conta do envolvimento em um escândalo de corrupção investigado pela polícia dos Estados Unidos, Coronel Nunes ou o secretário Walter Feldman sempre acompanhava a equipe.

Nunes, que vinha cumprindo esse papel desde a chegada de Tite, foi internado às pressas no início desta semana após passar mal no hotel que servia de concentração para a seleção em Belo Horizonte. Inicialmente, a CBF informou que ele tinha sofrido uma queda de pressão. No entanto, uma arritmia cardíaca foi verificada. Ele passará por uma série de exames e não deverá viajar para compromissos oficiais nas próximas semanas.

Gilberto Ratto, comandante da pasta de marketing da CBF, será o único integrante da diretoria executiva na passagem por Lima. Com bom trânsito entre jogadores e comissão técnica, ele já acompanha o time desde 2015.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos