Renato assume erro por "invasão" da filha e brinca: "Ela vai pagar a multa"

Do UOL, em São Paulo

  • LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

    Carol comemorou a classificação gremista no gramado da arena

    Carol comemorou a classificação gremista no gramado da arena

O Grêmio será julgado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pela invasão de campo de Carol Portaluppi, filha de Renato Gaúcho, na semifinal da Copa do Brasil. Dias depois do incidente, o técnico do Grêmio assumiu a culpa pelo ato e disse acreditar que o clube receberá uma multa.

"Eu nem sabia dessa lei, não sabia que não podia. Faltando alguns segundos eu chamei minha filha. Vai ser julgado. Quem errou fui eu. Ela não sabia e nem eu. O único culpado sou eu. Tem de ser julgado mesmo, está errado, sem problema. É tempestade em copa d´água. Não existe isso pela atitude dela, não houve briga", disse Renato.

O treinador brincou ao falar sobre a punição. "No máximo que vai acontecer é uma multa. Ela vai pagar", disse em tom de brincadeira. Depois, o treinador frisou que o Grêmio pagará uma eventual multa: "Vamos botar na conta do clube que não tem problema. O presidente paga".

A "invasão" foi relatada na súmula pelo árbitro Thiago Duarte Peixoto. A denúncia enquadrou o Grêmio no artigo 213 do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva), por "Deixar de prevenir e reprimir invasão de campo ou local da disputa do evento". A pena prevista é multa de R$ 100 a R$ 150 mil.
 
A Procuradoria do STJD ainda destacou, na denúncia, que caso o ato não seja encarado como invasão, deverá render multa igualmente. Sob argumento do artigo 191, inciso III do CBJD, por descumprimento do artigo 31 do Regulamento Geral de Competições da CBF.
 
Quer receber notícias do Grêmio de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.
 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos