Atlético-MG está próximo de anunciar parceiros para construir estádio

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

Desde 2014 circulam na internet imagens da Arena Multiuso de Belo Horizonte. Projeto desenvolvido pela Farkasvölgyi Arquitetura e pago pela MRV Engenharia. Pelas cores, preto e branco, fica claro que se trata de algo ligado ao Atlético-MG. E desde então a diretoria do clube não esconde o desejo de ter a casa própria. Sonho que está bem próximo de se tornar real. O clube já tem encaminhado algumas parcerias, para iniciar e concluir a obra, agora orçada em cerca de R$ 350 milhões, sem ter de gastar um Real do orçamento anual.

A informação foi divulgada pelo jornalista Chico Maia, em seu blog pessoal, e confirmada pelo UOL Esporte. De fato, o Atlético está bem próximo de tornar real o sonho de ter novamente o próprio estádio. Em contato com a reportagem, o presidente atleticano, Daniel Nepomuceno, confirmou que em breve os conselheiros do clube vão ser chamados para debater o assunto.

"Estamos fechando os números. As informações oficiais vão ser passadas pelo conselho primeiramente", disse Nepomuceno ao UOL Esporte, sem dar nenhum tipo de detalhe sobre quais números a diretoria executiva vai apresentar aos conselheiros. A tendência é que uma reunião extraordinária do conselho deliberativo do Atlético seja convocada ainda em 2016.

O próximo passo, no entanto, é a audiência pública, marcada para o dia 24 deste mês, no bairro Califórnia, região Noroeste de Belo Horizonte. A comunidade local vai ter a oportunidade de conhecer detalhes do projeto e debater sobre o impacto da possível construção do estádio no bairro.

Patrocinadora é uma das parceiras do Atlético

Patrocinadora do clube de longa data, a MRV Engenharia também está bastante envolvida. Foi a construtora do atleticano e conselheiro do clube, Rubens Menin, que pagou os R$ 500 mil pelo projeto e ainda cedeu o terreno, adquirido por R$ 8 milhões há alguns anos. Além da empresa mineira, outras três parceiras estariam envolvidas na construção do estádio do Atlético. Os nomes, no entanto, são mantidos sob sigilo.

Shopping na zona Sul de BH é um trunfo

Daqui exatos dez anos o Atlético vai ter 100% da renda bruta do Diamond Mall, shopping construído no local que abrigou o antigo estádio Antônio Carlos, entre 1929 e 1968. Como não tinha dinheiro para fazer o centro comercial na área de maior renda per capta de Belo Horizonte, o Atlético contou com a parceria com o Grupo Multiplan, que bancou a obra em contrapartida ficou com o direito de explorar o local por 30 anos.

Inaugurado em 1996, o Diamond Mall rende uma quantia anual ao Atlético. A participação do clube no lucro da administração do shopping aumenta a cada ano. Em 2015, a receita com patrimônios foi de R$ 9,6 milhões, como demonstra o balanço financeiro, mas sem especificar qual o total arrecadado somente com o shopping. A proximidade do fim do contrato e o interesse que a Multiplan tem em construir um quarto andar no local podem tornar a empresa uma outra parceria do Atlético na construção do estádio.

O contrato para que a Multiplan administre o Diamond por mais alguns anos e a autorização para a construção de um quarto podem sair. O dinheiro desse acordo seria destinado exclusivamente na construção do estádio do Atlético. Nesse caso, por se tratar de algo que envolve o patrimônio do clube, é preciso ter a aprovação do conselho deliberativo.

Custos da obra foram reduzidos

O primeiro projeto desenvolvido pela Farkasvölgyi Arquitetura previa a construção de uma arena para 50 mil pessoas, um centro comercial, uma área para eventos e um estacionamento com quatro mil vagas. O custo estimado estava acima dos R$ 500 milhões. Montante praticamente impossível de o Atlético conseguir com o momento de instabilidade econômica e política que atravessa o país.

A solução encontrada foi readequar o projeto. A capacidade do estádio caiu de 50 para 42 mil lugares, assim como foi reduzido também o tamanho do estacionamento, para cerca de 3 mil vagas. O centro comercial e o local para grandes eventos foram retirados, mas o espaço mantido. Portanto, essas construções não vão acontecer num primeiro momento, mas podem ser feitas no futuro, caso o clube julgue necessárias.

As novas alterações fizeram com que o projeto fosse reduzido em mais de 30%. Estimasse que o custo final do estádio do Atlético vai ficar por volta de R$ 350 milhões. Valor menor do que 11 de 12 estádios construídos ou reformados para a Copa do Mundo de 2014. Apenas a reforma do Beira-Rio, que custou R$ 330 milhões, está abaixo.

Quer receber notícias do Atlético-MG de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos