Atacante confia em força da torcida da Chapecoense mesmo com final fora

Do UOL, em São Paulo

  • JOKA MADRUGA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O atacante Bruno Rangel lamentou nesta quinta-feira (24) que a Chapecoense não poderá decidir a Copa Sul-Americana na sua casa, a Arena Condá, mas disse confiar na força da torcida do clube onde quer que ele mande um dos jogos da final da competição. 

"A gente fica um pouco chateado. A cidade se transforma, apoia bastante. O torcedor vem. A gente vai perder isso na final do campeonato. Por outro lado a gente sabe que o torcedor vai estar lá, talvez não em grande número, mas a gente sabe que ele vai estar lá. Mas realmente é uma pena a gente não poder jogar a final em casa. As outras equipes vão jogar a final em seus estádios. É mais um obstáculo que a gente vai ter que passar. A gente tem que superar mais essa dificuldade", afirmou o jogador, em entrevista à ESPN Brasil.

O motivo pelo qual a Chapecoense não pode mandar mais uma partida em sua casa é a capacidade mínima pedida pela Conmebol para uma final. Capaz de receber pouco menos de 16 mil torcedores, a Arena Condá está distante dos 40 mil cobrados pela confederação para uma decisão de torneio continental. A equipe catarinense terá que sair do estado para encontrar uma casa temporária para decisão. Porto Alegre e Curitiba são os prováveis destinos.

Artilheiro da Chapecoense no Campeonato Brasileiro, com dez gols marcados, Bruno Rangel divide com Ananias o posto de maior goleador da equipe na Sul-Americana, ambos com dois gols.

Rangel não descarta briga por Libertadores no Brasileiro

Próximo adversário do líder Palmeiras, a Chapecoense segue viva na briga por uma vaga na Copa Libertadores via Campeonato Brasileiro. Segundo Bruno Rangel, o time catarinense não irá ao Allianz Parque pensando apenas no empate.

"Hoje (quinta) nós começamos a pensar no Palmeiras. É um jogo muito importante para eles. Acho que a gente te que pensar o seguinte: a Chapecoense vai para fazer um bom jogo. Esperamos que o melhor time vença. Se o Palmeiras empatar, a gente dá os parabéns para eles. A gente também está brigando para chegar à Libertadores. Temos duas opções, sermos campeões ou chegar ao G-6. Quem vai estar em campo é a Chapecoense e a gente tem que pensar na gente", declarou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos