Zagueiro do Guarani pega 6 meses de suspensão por agredir árbitro em final

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

O zagueiro Ferreira, do Guarani, foi suspenso por 180 dias por agressão contra o árbitro Marcos Mateus Pereira durante a derrota do time paulista por 3 a 0 para o Boa Esporte na final do Brasileirão da Série C. O caso foi julgado nesta sexta-feira no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Na defesa, Ferreira disse que não tinha a intenção de empurra o árbitro e colocou em xeque mais uma vez o motivo de ele ter recebido o cartão vermelho antes da agressão.

"Eu queria perguntar para ele (árbitro) o motivo do cartão vermelho. Cheguei perto dele e infelizmente não pensei. Fui de encontro a ele, mas não fui para agredi-lo. Acabei empurrando. Não fui para agredi-lo, fui para perguntar para ele o por que fui expulso", disse o atleta.

Ferreira também reconheceu o erro cometido na decisão do campeonato e disse que estava passando por problemas particulares antes do duelo contra o time mineiro.

"Na semana da final, apesar da pressão que era o tamanho daquilo que seria para o Guarani e para minha carreira, tive problema particular com minha esposa e estava abalado psicologicamente. Estava sem falar com minha esposa há alguns dias. Eu me arrependi, sim, e sei que minha atitude não foi correta", afirmou. 

Ferreira descontrolou-se depois de ser expulso por uma suposta cotovelada em Rodolfo. O zagueiro, então, partiu para cima do árbitro, que chegou a cair no chão depois do empurrão. O atleta ainda teve de ser contido pelos próprios colegas de time.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos