Cuca fala em tom de despedida e deve anunciar destino nesta terça-feira

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo

  • Cesar Greco/Agência Palmeiras

    Técnico tem contrato com o Palmeiras até 31 de dezembro

    Técnico tem contrato com o Palmeiras até 31 de dezembro

O Palmeiras tem poucas chances de manter o técnico Cuca em 2017. Campeão brasileiro com a equipe alviverde em 2016, o treinador já deixou claro que pretende tirar um período sabático na próxima temporada, de forma a se dedicar à família e aos estudos – inclusive fora do Brasil.

O treinador deverá anunciar nesta terça-feira (29) seu futuro após reunião com a diretoria palmeirense. Nesta segunda-feira, porém, Cuca já falou em tom de despedida na festa que o Palmeiras organizou para comemorar o título brasileiro.

"Eu fico muito feliz com o reconhecimento do torcedor. Para mim, não importa hoje o lado financeiro. São questões pessoais, não vem ao caso aqui entrar no mérito. Quero conversar com o presidente que me trouxe, o Paulo (Nobre), com o futuro presidente, o Maurício (Galiotte), que é gente boa também. Depois que eu falar com eles, aí a gente fala com vocês", disse Cuca, negando eventuais rumores de um acerto com outros clubes.

"Deixa eu falar com eles, que foram as pessoas por quem eu vim. Aí depois a gente conversa entre nós (com a imprensa). Não tem nada de contrato com outra equipe, não tenho nada com ninguém. É apenas uma questão pessoal. Já era para ter feito isso (afastamento) neste ano. São problemas que ocorrem. Essa vai ser a minha prioridade, pelo menos para o primeiro semestre do ano que vem", completou.

Já o presidente Paulo Nobre tentou despistar a respeito, mas já deixou as portas abertas para um retorno do treinador mais adiante.

"Isso não foi ainda definido ou exposto. Isso é algo que a nova diretoria tem que tratar. O Cuca é muito identificado com o Palmeiras. Além de ser um grande profissional, ele é palmeirense. As portas do Palmeiras estarão sempre abertas para ele", disse Nobre, indo além.

"Agora, a gente precisa respeitar os anseios familiares dele. Ele tinha um combinado com a família, que o Alexandre (Mattos), na mineirice dele, conseguiu adiar. A gente precisa respeitar o que o profissional deseja também. Eu sou muito grato a tudo que ele fez no Palmeiras", acrescentou.

O tom foi semelhante ao adotado pelo diretor de futebol do clube, Alexandre Mattos. Segundo o dirigente, "a ideia inicial dele é de dar um tempo", reforçando um desejo que Cuca já havia manifestado quando chegou ao clube.

"Um dia após a demissão do Marcelo (Oliveira), eu fiz a negociação com o Cuca, então posso falar a verdade. Quando eu falei com o Cuca, ele disse que precisava dar um tempo para dar uma atenção especial para a família dele. Eram dois anos desgastantes na China. Mas ele atendeu porque via que era um desejo dele, havia jogado aqui, é um palmeirense. Ele viu o potencial do clube como um todo. Nessa conversa, ali ele deixou claro: vou até o final do ano", disse Mattos.

O dirigente, porém, torce para conseguir adiar mais uma vez o afastamento do técnico. "A gente conseguiu demover ele da ideia oito meses atrás. Por que não tentar (de novo)?", completou.

O elenco do Palmeiras deve se reapresentar na quarta-feira para os treinos antes do jogo contra o Vitória, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. O próprio Cuca admite que "tem tempo nesta semana para conversar" com o Palmeiras.

"É natural, sem problema nenhum. Vamos com calma", discursou o treinador. "Eu tenho contrato até 31 de dezembro. Até lá, eu vou servir o Palmeiras da melhor forma, sem desonrar nenhum dia do contrato. Mas essa é uma coisa interna, pessoal, particular minha. A gente ouve muita coisa que tem outro clube – não tem nada. É uma coisa pessoal minha", argumentou.

Quer receber notícias do Palmeiras de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos