Jogador que ficou em Chapecó lembra união e diz: "não sei como vamos fazer"

Do UOL, em São Paulo

Jogador que não foi relacionado para a viagem e ficou em Chapecó, Claudio Winck relembrou a união do grupo em entrevista ao programa "Encontro", da Rede Globo. De acordo com o lateral, não dá para imaginar como será o futuro da Chapecoense após o acidente com o avião que transportava a delegação da equipe para a Colômbia, onde jogaria a final da Copa Sul-Americana.

"Estávamos em momento fantástico, na melhor fase da história do clube, é complicado. Não sei como vamos fazer aqui para a gente. Eu estava com a mulher do Alan Ruschel aqui do meu lado agora mesmo", disse o atleta, que foi emprestado pelo Internacional ao clube.

"É um grupo muito unido, todo mundo estava se dando bem. Perdemos amigos de muitos anos. O Matheus Biteco era meu amigo de infância", lamentou.

Claudio Winck disse que recebeu uma ligação informando sobre o acidente e foi diretamente para a Arena Condá. Ele disse que é impossível descrever o sentimento que passa pela cidade.

"Está todo mundo no estádio, a torcida está começando a entrar na arquibancada, muita família, muito jogador que não estava relacionado. Eu vim as 5h da manhã. O clima está muito complicado."

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos