Valorizados, jogadores da Chapecoense tinham pré-contrato com grandes de SP

Do UOL, em São Paulo

A boa campanha da Chapecoense na temporada 2016 já tinha movimentado o mercado de transferências de jogadores. Vários atletas da equipe catarinense eram seguidos de perto por equipes de outros Estados, e pelo menos dois deles tinham pré-contrato com equipes do futebol de São Paulo.

O meia Hyoran, de 23 anos, já havia alinhavado um contrato com o Palmeiras até o fim de 2017. Destaque da Chapecoense na atual temporada, o jogador sofreu uma lesão e foi cortado da delegação que viajou para a Colômbia, sede da decisão da Copa Sul-Americana. Por isso, escapou do acidente que matou 71 pessoas.

O zagueiro Willian Thiego, 30, não teve a mesma sorte. Indicado pelo técnico Dorival Júnior, o defensor já havia assinado um pré-contrato com o Santos. A concretização do negócio foi comunicada a ele por Luiz Taveira, empresário do atleta, pouco antes do embarque da delegação catarinense no Aeroporto Internacional de Guarulhos, município de São Paulo. Autor de oito gols na temporada, foi uma das vítimas do acidente em La Unión, cidade próxima a Medelín (Colômbia).

"Estava feliz da vida. Falava que que estava feliz demais", contou Taveira ao jornal "Lance!". "Vêm lágrimas nos olhos só de lembrar", completou.

Também estava na lista de mortos o lateral esquerdo Denner, que já havia despertado atenção do São Paulo. O time paulista chegou a conseguir um acordo de preferência pela contratação do ala.

Outros três jogadores que estavam no voo negociavam com o Goiás. O time esmeraldino havia procurado o defensor Neto e os atacantes Ananias e Bruno Rangel. "Tivemos contatos com eles e com os empresários. É realmente muito triste o que aconteceu", contou Sergio Rassi, presidente da equipe do Centro-Oeste, à rádio "730 AM".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos