Por Chapecoense, Santos adia férias e pede mudanças no Paulistão

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Ivan Storti/ Santos FC

    Santos, de Dorival, pretende adiar início do Paulistão ou acabar com inscrição fixa de atletas

    Santos, de Dorival, pretende adiar início do Paulistão ou acabar com inscrição fixa de atletas

Sensibilizado com a trágica queda do avião da Chapecoense que fez 71 vítimas, o Santos mudou toda a sua programação de "virada de ano". As férias dos atletas foram adiadas para o dia 12, já que a última rodada do Campeonato Brasileiro foi transferida do dia 5 para o dia 11 deste mês.

Com isso, a diretoria santista também adiou a reapresentação do elenco para a disputa da temporada 2017. O retorno dos atletas estava marcado para o dia 4 de janeiro, mas agora ocorrerá no dia 11.

Por conta disso, o presidente Modesto Roma já iniciou conversas com a Federação Paulista de Futebol (FPF) para que o início do Campeonato Paulista seja adiado em uma semana.

"As férias estão adiadas para o dia 12, a volta também está adiada em uma semana. Estamos trabalhando junto a Federação Paulista de Futebol (FPF) para o Campeonato Paulista ser adiado em uma semana. Temos que procurar as datas que existem e vamos lá tentar trabalhar para que as datas se ajustem, se acertem", afirmou Modesto Roma.

O UOL Esporte também apurou que, caso a FPF não aceite o adiamento por falta de datas, o Santos deve propor a retirada da inscrição fixa de atletas na competição para 2017. Com isso, os clubes paulistas poderiam iniciar o Paulistão atuando com um time alternativo ou até sub 20.

Modesto Roma foi um dos presidentes de clubes a propor ajuda a Chapecoense, com atletas emprestados sem custos e imunidade em relação ao rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro por até três anos.

"A Chapecoense precisa de todas as formas de ajuda. A começar pelo reconhecimento da grandeza. Conversamos com os clubes de cedermos atletas por empréstimo a Chapecoense. Propusemos que a Chapecoense fique garantida na Série A nos próximos três anos", disse o dirigente santista.  

"É uma perda muito grande. Vai ser duro a Chapecoense se reequilibrar. A obrigação dos clubes brasileiros é dar seu apoio com atletas, de todas as formas", completou.

O Santos cancelou o treino desta terça-feira, no CT Rei Pelé, e decretou luto de sete dias por causa da tragédia envolvendo a Chapecoense. Até a reunião do Conselho Deliberativo do clube, marcada para a noite desta terça-feira, foi adiada. O atendimento a imprensa também foi alterado. Os jornalistas só poderão acompanhar os treinos no início da próxima semana.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos