"Sei que ele fez o impossível para salvar o voo", diz parente do piloto

Do UOL, em São Paulo

Denise Pinto, parente do piloto Miguel Quiroga, que transportava a delegação da Chapecoense no avião que caiu vitimando 71 pessoas na Colômbia, destacou a experiência do comandante em entrevista ao jornal El Tiempo.

"Sabemos que ele fez até o impossível para salvar sua tripulação e a todas as pessoas que iam nesse voo", afirmou Denise.

"Sabemos o que significou para ele os momentos prévios ao acidente quando viu que o inevitável ia acontecer e que todas as pessoas perderiam a vida", acrescentou.

Segundo Denise, a família de Quiroga se manterá à margem das especulações sobre o motivo do acidente, inclusive de que o avião sofreu uma pane seca, isto é, ficou sem combustível, porque acredita na experiência do piloto.

"Se formos ver seu currículo, ele tinha capacitação no estrangeiro e experiência na Força Aérea da Bolívia", contou.

Denise também relatou trocas de mensagem de WhatsApp entre Quiroga e a mãe minutos antes da decolagem de Santa Cruz, na Bolívia, até Medellín, na Colômbia, onde a Chapecoense enfrentaria o Atlético Nacional na final da Copa Sul-Americana nesta quarta-feira (30).

"Mami, estou saindo do Aeroporto Viru Viru, de Santa Cruz, e irei até Medellín, ligo quando chegar", diz a mensagem, que dura menos de 15 segundos. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos