Zagueiro e jornalista apresentaram melhora nas últimas 12 horas, diz médico

Do UOL, em São Paulo

O zagueiro Neto e o jornalista Rafael Henzel apresentaram melhora nas últimas 12 horas. A informação é do médico Juan Antonio Rodríguez, que acompanha os brasileiros na clínica San Juan de Dios.

"Tendência de recuperação importante nas últimas 12 horas. A circulação vem respondendo bem. Vamos esperar mais 48 horas para a verificar a recuperação", disse o médico em entrevista à Rede Globo.

De acordo com ele, Neto deve ainda passar por mais uma intervenção cirúrgica e já dá sinais que vai abrir os olhos. O zagueiro, que foi a última vítima resgatada com vida depois do acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, permanece entubado.

"A situação clínica nas últimas 12 horas é importante a resposta a nível cardiovascular, pulmonar. A situação segue sendo crítica. Ambos estão entubados, mas os pacientes estão respirando espontaneamente, estão tossindo e tentando abrir os olhos", afirmou o médico, dessa vez ao SporTv.

Outros dois jogadores do time catarinense estão hospitalizados: o lateral esquerdo Alan Ruschel e o goleiro Follmann. Dois tripulantes também estão hospitalizados.

"O Alan é o que está em melhores condições. Todos estão em UTI. O caso mais grave é do Follmann. O ponto alto é a equipe médica, muito dedicada, comprometida. A cada minuto aumenta a nossa esperança de que eles voltarão a ter uma vida normal. Estão todos na UTI, sedados, mas o Alan é quem está em melhores condições. Trouxemos 3 médicos de Chapecó para que eles possam passar notícias em português e fazerem laudos em português para que todos tenham a melhor informação do caso", disse o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, ao Fox Sports. 

Buligon explicou que está percorrendo os dois hospitais em que os sobreviventes se encontram e coletando informações com as autoridades. Ele explicou que ainda não há possibilidade para que os brasileiros sobreviventes sejam transferidos para clínicas brasileiras. "Nesse primeiro momento eles vão ficar aqui. Estamos vendo aqui que há um entorno deles aqui. O estado é grave então dentro de um prazo curto não há possibilidade deles irem ao Brasil", explicou. 

O acidente com o avião da Chapecoense ocorreu na madrugada da última terça-feira, nas proximidades de Medelín. No total, 71 pessoas morreram (19 jogadores, 20 jornalistas, 17 integrantes da comissão técnica, oito dirigentes e sete tripulantes)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos