Chapecoense define detalhes do velório e torcedores terão acesso restrito

Bruno Freitas e Felipe Pereira

Do UOL, em Chapecó e em Medellín (COL)

  • Danilo Lavieri/UOL

O diretor de comunicação da Chapecoense, André Copetti, informou nesta quinta-feira (01) os detalhes do velório das vítimas do acidente aéreo com o elenco do clube catarinense, em Medellín. A cerimônia será na Arena Condá no próximo sábado (03), e apenas familiares e amigos poderão se aproximar. Os torcedores terão acesso apenas às arquibancadas. 

"Em reunião realizada com todo o grupo que está coordenando [o velório], pela experiência que tem em outros velórios de grande apelo, foi decidido que torcedores ficarão restritos às arquibancadas e cadeiras. Como precaução e para impedir que vire interminável, vão só parentes e amigos mais próximos. Só quem tem relação mais íntima com nossos amigos", disse Copetti.

"Haverá um período apenas para pessoas mais próximas e família. Depois liberaremos para a imprensa e público. Vamos disponibilizar telões na área externa da Arena, porque só cabem 19 mil no estádio. Estamos trabalhando com 100 mil na área externa", completou.

A Chapecoense trabalha com o número de 51 pessoas a serem veladas na Arena Condá, entre membros da delegação do clube e jornalistas locais. O número, porém, deve ser menor, já que algumas das vítimas seriam encaminhadas a suas cidades de origem. Segundo apurou o UOL Esporte, os corpos do técnico Caio Júnior e de três auxiliares não serão levados ao estádio.

"Após mais ou menos quatro horas [de velório], os corpos serão liberados para o enterro. Aqui em Chapecó devem ser enterradas 16 pessoas", contou. 

O diretor de comunicação ainda explicou como estão os trâmites na Colômbia para a liberação dos corpos. "Os corpos estão em processo de preparação para o traslado até Chapecó nas aeronaves da Força Aérea Brasileira, mas ainda não há confirmação de hora para o transporte. Vamos trazer todos os corpos até aqui e daqui alguns saem para suas cidades de origem", explicou.

Em Medellín, a intenção das autoridades é que haja uma caravana fúnebre para levar os corpos aos aviões da Força Aérea Brasileira, os quais transportarão as vítimas fatais para o Brasil entre a noite desta quinta (01) e manhã de sexta (02).

"Nós temos a intenção de fazer uma caravana, mas vai depender da rapidez com que os corpos vão ser liberados. As famílias estão ansiosas e queremos fazer tudo o mais rápido possível", disse a secretária de governo da Antioquia (estado em que fica Medellín), Victoria Eugenia Ramírez.

Os aviões da FAB já estão em Medellín, estacionados no Aeroporto Olaya Herrera. Além de familiares, amigos e torcedores, autoridades devem comparecer ao velório.  O governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, conversou com o presidente nesta quinta (02) para falar sobre o velório e como as duas autoridades vão para Chapecó.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos