Colômbia libera 31 corpos após identificação; traslado será feito em 24h

Bruno Freitas, Felipe Pereira e Gustavo Franceschini

Do UOL, em Chapecó (SC) e Medellín (Colômbia)

  • AP

O IML colombiano já finalizou o reconhecimento de todos os 71 corpos das vítimas do acidente com o avião da Chapecoense. Até o final da tarde desta quinta-feira, 31 já tinham sido liberados. Os números foram divulgados pelo Ministério de Relações Exteriores e confirmados posteriormente pela prefeitura de Chapecó e pelo serviço funerário.

Entre os liberados, há vítimas de quatro nacionalidades: brasileiros, paraguaios, bolivianos e venezuelanos. A tendência é que os corpos cheguem a Chapecó até a noite desta sexta-feira. O velório coletivo deve ter 51 corpos.
 
Em Medellín, haverá cortejo fúnebre para levar os corpos aos aviões da Força Aérea Brasileira, os quais transportarão as vítimas fatais para o Brasil entre a noite desta quinta (01) e manhã de sexta (02).  
 
"Temos dez corpos de brasileiros prontos. Estamos fazendo todo o esforço humanamente possível para liberar todos os corpos hoje. O plano a é que todos sejam liberados até às 22h. Eu acho difícil. O plano b é que todos sejam liberados até às 8h de amanhã", afirmou Jorge Escobar, representante das funerárias que estão trabalhando em conjunto com o IML da Colômbia, ao UOL Esporte.
 
De acordo com a assessoria do Ministério de Relações Exteriores, os legistas trabalharam durante toda a madrugada, em uma força-tarefa, a fim de agilizar o processo de reconhecimento e liberação dos corpos. No total, 12 equipes participaram do trabalho.
 
Três aviões da FAB, que já estão em Medellín, farão o translado dos corpos. A expectativa é que o velório coletivo aconteça nesta sexta-feira (02), na Arena Condá, em Chapecó. 
 
O Itamaraty diz que ainda não está definido como seria feito o transporte, já que as aeronaves da FAB comportam levar apenas 22 corpos por vez. A decisão sobre o transporte das vítimas será tomada à medida da progressão do trabalho das funerárias.
 
A Chapecoense, a Polícia Militar, a Polícia Rodoviária Federal, a Prefeitura de Chapecó e o Governo de Santa Catarina fizeram uma simulação nesta quarta-feira. São esperadas 100 mil pessoas no estádio para prestar a última homenagem aos atletas, dirigentes, membros da comissão técnica e jornalistas vítimas na tragédia.
 
A ideia do clube catarinense é que todos sejam primeiramente velados no gramado e, em seguida, liberados para que sejam enterrados em suas respectivas cidades de origem.

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos