Japão lamenta tragédia da Chapecoense, clube "muito próximo" ao país

EFE

  • Juan Mabromata/AFP

    Técnico Caio Júnior comandou o Vissel Kobe em 2009

    Técnico Caio Júnior comandou o Vissel Kobe em 2009

A Federação de Futebol do Japão (JFA) lamentou nesta quarta-feira a morte de 71 pessoas na tragédia aérea sofrida pelo time da Chapecoense, entre as quais havia quatro jogadores e o técnico Caio Júnior, que já defenderam clubes japoneses.

"É profundamente lamentável que este acidente tenha afetado um clube que era muito próximo ao mundo do futebol no Japão", afirmou o presidente da JFA, Kozo Tajima, em comunicado divulgado hoje pela entidade.
 
Tajima expressou seu pêsame aos familiares das vítimas, e lembrou que o vencedor do confronto que estava marcado para hoje entre a Chapecoense e o Atlético Nacional em Medellín enfrentaria uma equipe japonesa na Copa Suruga Bank.
 
O acidente deixou 71 mortos e seis feridos no noroeste da Colômbia, a maioria deles do clube brasileiro.
 
Entre os mortos estavam o zagueiro Willian Thiego, que defendeu o Kioto Sanga da segunda divisão japonesa, o atacante Kempes, ex-jogador do Cerezo Osaka, e o meia Arthur Maia, que jogou no Kawasaki Fronyale.
 
Também morreram o meia Cléber Santana, capitão da Chapecoense e ex-jogador do Kashiwa Reysol, e o técnico Caio Júnior, que em 2009 ocupou o banco do Vissel Kobe. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos