Em romaria de jogadores, botafoguense Roger se coloca à disposição da Chape

Bruno Freitas, Danilo Lavieri, Felipe Vita e Luiza Oliveira

Do UOL, em Chapecó (SC)

  • Bruno Freitas/UOL

    Contratado pelo Botafogo, Roger se coloca à disposição da Chapecoense

    Contratado pelo Botafogo, Roger se coloca à disposição da Chapecoense

Em meio ao clima de luto em Chapecó, na expectativa pela chegada dos corpos dos jogadores da Chapecoense que morreram no acidente aéreo na Colômbia, uma pequena romaria de jogadores marcou presença na Arena Condá nesta sexta-feira (2), em gesto de solidariedade ao clube. Cerca de 15 atletas com alguma ligação com o clube ou com as vítimas estiveram no local.

Entre os jogadores presentes no estádio da Chapecoense esteve o atacante Roger, que defendeu a Ponte Preta no Campeonato Brasileiro, mas que acertou contrato para jogar pelo Botafogo em 2017. Mesmo com o destino profissional definido, o atleta manifestou que gostaria de colocar seus serviços a favor do time catarinense.

"Eu penso. Talvez não seja momento de falar, muito triste. Eu tenho pré-contrato com o Botafogo e estou realizando um sonho de voltar a uma grande equipe. Mas me coloco à disposição. A gente sabe que é difícil, não sei como fazer. Se tiver a oportunidade, me coloco à disposição, com carinho e amor. Abriria mão de valores. Acho que muita coisa vai mudar no futebol", declarou o atacante do Botafogo.

"A gente vê que nessa hora dinheiro não vale nada. Nós atletas corremos para fazer nossas carreiras em 12 anos, e nessa hora a gente vê que nossos carrões, nossas casas não valem nada. Eu falei para a minha esposa: nós vamos viver um pouco, aproveitar mais a vida, curtir nossos filhos. Poderia ser eu naquele avião. Quantas vezes fizemos viagens assim", acrescentou Roger, que defendeu a Chapecoense em 2015.

Muito emocionado, o atacante Rodrigo Graal também levou sua solidariedade ao clube. No contato com a imprensa, o jogador demonstrou dificuldade de falar a respeito da tragédia, com olhos marejados e pausas para respirar. O atleta é nascido em Chapecó, passou pelo clube em 2012 e assume ser um torcedor da Chape.

"Esse carinho que as pessoas estão passando, é isso que vai levantar a Chapecoense", afirmou o jogador, que soube do acidente quando o irmão que mora na Dinamarca o telefonou, na madrugada de terça-feira. "Por mim ainda não estou acreditando. Aí você abre o jornal, liga a TV, e vê o avião. É complicado", emendou, pedindo desculpas para encerrar a entrevista.

Mais nomes do universo do futebol estiveram presentes na Arena Condá, como o técnico Guto Ferreira, que comandou a Chapecoense até a metade deste ano e conquistou o título catarinense de 2016. O pentacampeão Belleetti comparece, assim como o atacante Silvinho, com passagem pelo São Paulo, entre outros.

"Se a Chape foi escolhida para passar ao mundo uma lição, eu tenho certeza que está passando. A Chape é um elo de muito amor", comentou Guto Ferreira, em uma entrevista coletiva bastante emocionada.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos