Juíza rejeita defesa e determina prisão preventiva de diretor da Lamia

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Avião da Lamia caiu em Medellin

    Avião da Lamia caiu em Medellin

A juíza Claudia Castro rejeitou a defesa de Gustavo Villegas Vargas, ex-diretor da Aeronáutica da Bolívia, e Gustavo Vargas Gamboa, seu filho e diretor da Lamia. Os dois foram encaminhados para o presídio San Pedro, em La Paz, segundo a imprensa boliviana.

A defesa de Vargas Villegas entregou quatro documentos em que tentava provar que houve avaliação prévia para que o voo que caiu em Medellin pudesse fazer a viagem. Por isso, Castro determinou a prisão preventiva de ambos.

A defesa dos dois decidiu por recorrer da decisão. A promotoria se mostrou satisfeita com a decisão.

Os representantes do Ministério Público agora buscam mais provas que permitam sustentar as acusações contra os dois por homicídio culposo (sem intenção de matar), lesões graves e desastres em meios de transporte.

Além dos dois, o Ministério Público ainda mira quatro diretores da Direção Geral da Aeronáutica da Bolívia. Eles são suspeitos de facilitar para que o voo da Chapecoense saísse do aeroporto Viru Viru, em Santa Cruz de La Sierra.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos