Por mais tempo de jogo, Allione admite até deixar o Palmeiras em 2017

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Ronny Santos/Folhapress

    Allione não descarta deixar o Palmeiras para 'deixar de ser promessa'

    Allione não descarta deixar o Palmeiras para 'deixar de ser promessa'

Tratado como revelação na chegada e apontado como um dos vilões na eliminação do Palmeiras na Copa do Brasil deste ano. Com pouco tempo de jogo na conquista do Campeonato Brasileiro, Agustín Allione quer mais para 2017. O argentino espera, na próxima temporada, uma continuidade não encontrada durante a Era Cuca.

Em entrevista exclusiva ao UOL Esporte, o meia-atacante admite a frustração por jogar pouco nesta temporada. Sair do Palmeiras para jogar mais é uma possibilidade, já que o próprio atleta convive com sondagens de outros clubes enquanto aproveita as férias na Argentina.

"A gente recebeu alguma oferta, mas não gosto de falar enquanto não estiver nada concreto. Para mim, por respeito ao clube e ao Palmeiras, ainda estou vendo o que será melhor para todos", contou, em entrevista concedida por telefone.

O nome do Allione deve agitar o mercado nas próximas semanas, especialmente depois desta sexta-feira, quando Maurício Galiotte assumirá a presidência palmeirense e o comando das operações do atual campeão brasileiro para o ano que vem.

Se depender de Allione, uma transferência para outro clube brasileiro é bem vista. Desde que atenda às necessidades do clube e do jogador, que quer, enfim, uma sequência longa de jogos, o meia argentino se mostra interessado.

"Acho que não [problema por atuar em outro clube no Brasil]. Tem times que sabemos a rivalidade com o Palmeiras, que a gente tenta evitar. Porém, há clubes que o Palmeiras poderia concordar com isso e eu também. Jogaria em outro time do Brasil", completou.

Confira o papo completo com Allione:

UOL Esporte: Duas conquistas nos últimos dois anos de Brasil: imaginava tamanho sucesso coletivo ao cruzar a fronteira?
Allione: Na primeira vez, quando sai do time que estava [Vélez Sarsfield], sonhei que estava indo para uma melhor, para conquistar as coisas; acho que isso foi realizado. Em dois anos e meio, consegui uma Copa do Brasil e um Brasileiro; são conquistas muito importantes para a minha carreira. É um sonho realizado; lógico que gostaria que fosse de outro jeito, jogando mais e tendo mais participação, sendo titular. Mesmo assim tem o mesmo valor, porque tivemos a sorte de ganharmos títulos. Têm jogadores que terminam a carreira sem ganhar nada; em cinco anos, ganhei títulos. Isso é muito importante.

UOL Esporte:Qual foi o diferencial do Palmeiras na conquista do Campeonato Brasileiro?
Allione: O mais importante que o Palmeiras teve para o campeonato foi o grupo, porque todo o elenco participou - até quem não jogou. Sempre trabalhamos da mesma maneira, jogando e essa foi a diferença para o nosso time ser campeão. Jogamos bem durante o campeonato. Quem tinha a possibilidade de jogar, aproveitava; essa foi a diferença.

Cesar Greco/Fotoarena
Libertadores: Allione fechou a sofrida vitória sobre o Rosario


UOL Esporte: Enquanto ao trabalho do Cuca. Você acha que ele te deu poucas chances?
Allione: Não sei, gostaria de jogar mais, e todo jogador gostaria disso. Se eu merecia ter mais chances ou não era decisão dele, vou continuar respeitando. O Palmeiras ganhou o Campeonato Brasileiro no fim. Se ele achou que eu deveria ter mais chances, não tenho que ficar pensando nisso. Respeito a decisão dele; ele explicou, entendi, mas não era o que queria, queria ter mais chances. Faz parte, quero ver de no próximo ano ter mais continuidade aqui no Palmeiras, vou procurar ter mais chances de jogar.

UOL Esporte: Sem Cuca, você acredita em mais chances com a chegada de um treinador? Enquanto ao futuro: retornarás ao Palmeiras?
Allione: Vou procurar ter mais espaço no time para jogar mais. Se for no Palmeiras, perfeito. Se não for no Palmeiras, também. Estou precisando ter uma sequencia mais longa e ter mais jogo para pegar mais confiança. Você vai continuar amanhã, e procurar essa sequencia e ter oportunidades. Se é no Palmeiras, perfeito. Se não conseguir fazer isso lá, será em outro time.

UOL Esporte: Tem sondagem? Acha que seria o momento para deixar o Palmeiras e buscar mais tempo de jogo?
Allione: Estamos vendo. Já recebi várias ligações  e ofertas para ver de qual jeito eu poderia sair do Palmeiras. Estamos avaliando, sempre respeitando o clube. Pensando no que for o melhor para mim e para o clube. Falta bastante para começar a temporada, então vamos pensar e ver o que aparece. Também vou consultar sempre o Palmeiras para ver se querem que eu continue ou se vão me emprestar. Estamos avaliando a situação.

UOL Esporte: Mas, proposta concreta de interesse, você já ouviu?
Allione: A gente recebeu alguma oferta, mas não gosto de falar enquanto não estiver nada concreto. Para mim, por respeito ao clube e ao Palmeiras, ainda estou vendo o que será melhor para todos.

UOL Esporte: Você atuaria por outro clube aqui no Brasil?
Allione: Acho que não [problema por atuar em outro clube no Brasil]. Tem times que sabemos a rivalidade com o Palmeiras, que a gente tenta evitar. Porém, há clubes que o Palmeiras poderia concordar com isso e eu também. Jogaria em outro time do Brasil.

Rubens Cavallari/Folhapress

UOL Esporte: A expulsão contra o Grêmio gerou rejeição por parte da torcida? Você ouviu muitas críticas. Como foi a conversa do Cuca e do grupo contigo?
Allione: Recebi muitas críticas, mas a crítica em si não me incomodava. Fiquei triste, porque foi o momento mais difícil para mim. Fiquei muito bravo comigo mesmo por ter feito aquilo que fiz. Estava jogando bem, e depois o Grêmio empatou e ficamos fora. Agradeci ao Cuca publicamente e pessoalmente; recebi muito apoio deles [grupo de jogadores]. Acho que não deveria ter feito aquilo. Fiquei muito chateado comigo mesmo e depois ao ler as críticas também. Gostaria que não tivesse acontecido, mas faz parte. Procurei levantar a cabeça e jogar no Brasileiro, mas não tive muitas chances. Infelizmente, no último jogo não fui relacionado depois de ser campeão. Estou preparado para tudo.

UOL Esporte: Para a gente encerrar. Pela nossa conversa, dificilmente você permanece no Palmeiras para 2017...
Allione: Vou procurar o melhor para o meu futuro. Sendo no clube ou não. Vou tentar procurar um clube no qual eu possa jogar. Se é no Palmeiras, vou ficar feliz; se não for no Palmeiras, vou infelizmente ter que procurar outro clube. O tempo vai passando e a gente vai ficando mais velho. Sou jovem ainda, mas está no momento de pegar mais tempo de jogo para mostrar mais. Falam que 'você é uma promessa'; promessa com 22 anos tem que mostrar alguma coisa. Procurar uma continuidade para deixar de ser promessa e virar uma realidade.

Quer receber notícias do Palmeiras de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos