Ronaldo diz que Romário tentou ajudá-lo na Copa de 94 e lhe deu até bronca

Do UOL, em São Paulo

O ex-atacante Ronaldo lembrou dos primeiros anos da carreira em entrevista à ESPN neste domingo. O pentacampeão mundial falou sobre a disputa da Copa do Mundo de 1994 e a relação com Romário na ocasião.

Segundo ele, o ex-camisa 11 da seleção brasileira tentou ajudá-lo antes da competição ao fazer um lobby por três atacantes no time de Carlos Alberto Parreira, que atuava no 4-4-2, com Bebeto e Romário no ataque.

"Ele fazia muitas coisas para ajudar. Ele via que eu tinha talento e potencial para jogar. Disse em 1994 para a seleção jogar com três atacantes (em uma entrevista). Era eu, ele e o Bebeto", disse Ronaldo, que na época desconversou publicamente sobre uma eventual chance na equipe tetracampeã mundial.

"O Romário me deu uma bronca, disse para eu falar que queria jogar. Eu queria jogar. Se olhar bem, nem sabia que eu estava fazendo ali. Eu era uma outra pessoa. Mas eu queria jogar. Eu aprendi tanto lá, que foi perfeito. Eu olhava para todo mundo. Olhava para ele, para o Zinho. O Leonardo era tão atencioso, as broncas do Dunga. Foi importante na minha carreira", afirmou.

Copa do 1998
 
Ronaldo lembrou ainda do Mundial da França, em 1998, quando atuou, aos 21 anos, como o maior destaque da seleção de Zagallo. O Fenômeno falou sobre os problemas de relacionamento entre os jogadores e deu detalhes do problema de saúde ocorrido no dia da final contra a França.
 
"(Tinha) Brigas no vestiário, discussão, como Dunga e Bebeto, mas fomos até o final. Mas não era o destino ganhar aquela Copa. Ainda mais com a convulsão comigo antes da final. Esportivamente a França foi melhor, não vimos a cor da bola. Tomamos um baile e depois aquilo (a convulsão) virou uma forma de justificar a derrota. Falaram de acordo", contou.
 
"Em cada momento eu via pessoas assustadas. O Roberto diz que ela demorou 40 segundos. Quando acordei, já tinha médico no meu quarto e eu não entendia. Ninguém falou nada para mim. O Léo me chamou para conversar. Ele queria me dizer com jeito que eu não ia jogar e me contou da convulsão. Saí correndo e fui falar com o Lídio Toledo. Perguntei se tinha alguma chance de eu jogar. E fui fazer os exames que precisavam. Chegamos uma hora antes do jogo e chamei o Zagallo. Mostrei os exames e disse que não ficaria fora da final. Ele disse sim, sem nenhuma resistência", lembrou Ronaldo.

Trotes no Cruzeiro

Ronaldo também falou sobre a passagem pelo Cruzeiro, entre 1992 e 1993. O ex-atacante contou que passou por um trote quando morava na Toca da Raposa, centro de treinamento do clube mineiro. Os jogadores mais velhos à época lhe contaram que a alma do ex-jogador Roberto Batata, morto em 1976, rondava o local. 

"Falavam que a alma não quis se desligar de lá. Quando fui atravessar o gramado, voltar para "Toquinha", comecei a ouvir apito, algumas pessoas pedindo bola. Acenderam a luz do gramado e todo mundo estava lá no campo. Foi um trote", contou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos