Pedreira ou zebra? Blogueiros avaliam rivais de brasileiros na Libertadores

Do UOL, em São Paulo

  • Jorge Adorno/Reuters

    Primeiras fases foram definidas em um sorteio no Paraguai

    Primeiras fases foram definidas em um sorteio no Paraguai

Definidos os primeiros rivais dos brasileiros na Copa Libertadores, chegou a hora de saber o quão perigosos eles são aos times do Brasil. Nesta quinta-feira (22), um dia após o sorteio das primeiras fases da competição continental, os blogueiros do UOL Esporte opinaram sobre as dificuldades de cada adversário. Vale ressaltar que a análise foi feita levando em consideração o desempenho deste ano e o planejamento para 2017. Com o mercado da bola, a situação dos times podem mudar até o início da Copa Libertadores.

Em baixa no ranking da Libertadores, o Flamengo não foi cabeça de chave e isso fez com que o clube carioca caísse em um dos grupos mais complicados da competição sul-americana. Na chave quatro, o rubro-negro está ao lado de San Lorenzo, campeão do torneio em 2014, Universidad Católica e ainda pode ter Atlético-PR. 

Confira a análise dos blogueiros:

FASE 2

Botafogo x Colo-Colo
Jogador para ficar de olho: Esteban Paredes, atacante veterano e ídolo do clube.
 
BIRNER: Colo-Colo oscilou no Clausura e encerrou na quinta colocação. Atua com trio de zaga e tem elenco tecnicamente razoável para os padrões da Libertadores. O do Botafogo, nesse momento, é de nível similar. Ambos podem se classificar. 
 
PVC: O Botafogo começa contra o Colo Colo, confronto com história. Em 1973, o Colo Colo tornou-se o primeiro time chileno a vencer no Maracanã ao vencer justamente o Botafogo e eliminá-lo na fase semifinal.
 
Atlético-PR x Millonarios
Jogador para ficar de olho: Mejía, meia-atacante.
 
RAFAEL REIS: Atlético-PR é favorito destacado. O único dos adversários por vaga na fase de grupos que pode dar trabalho é o Millionários. Mas, se passar pelas eliminatórias, entrará no grupo do Flamengo, um dos mais complicados da Libertadores.
 
BIRNER: Millionários foi inconsistente na temporada.  O elenco, hoje,  tem menos qualidade que dos compatriotas de Medellín e Santa Fe. O zagueiro Pedro Franco, atuou no San Lorenzo e pertence ao Besiktas, é o melhor do sistema de marcação, e Mejía, que joga como meia-atacante, o mais capaz. Atuou de 'volante' no lado esquerdo do meio de campo do Atlético Nacional quando o treinador era Juan Carlos Osório e se destacou na fase de grupos da última Libertadores ganha pelo River Plate. O time da Arena da Baixada e o de Bogotá podem se classificar. Se o jogo fosse antes da janela de transferência e das férias dos atletas, o rubro-negro teria pequeno favoritismo para seguir no torneio.  


GRUPO 2 - Santos

Independiente Santa Fe
Classificação: Briga por vaga
Jogador para ficar de olho: Omar Pérez, meio-campista de 35 anos.
 
BIRNER: Santos é a pedreira.  O Santa Fe foi campeão da Colômbia após oscilar na fase de classificação e elevar o padrão nos jogos eliminatórios; tende a se classificar. Sporting Cristal e o ganhador da fase anterior são zebras.
 
RAFAEL REIS: A equipe de Dorival Júnior não deve encontrar grandes dificuldades para passar pela fase de grupos. Mas, para ser primeira colocada da chave, terá de jogar muito futebol, já que o Independiente Santa Fe é o time que tem conseguido bater de frente com o Atlético Nacional dentro da Colômbia - ganhou dois títulos nacionais e uma Copa Sul-Americana nos últimos três anos.
 
PVC: O maior rival do Santos será o Santa Fe. Campeão da Copa Sul-Americana de 2015, o clube de Bogotá voltou a ter Gustavo Costas como treinador. Foi ele quem começou a montagem da equipe vencedora do segundo torneio de clubes do continente, há dois anos. Ainda há jogadores importantes como o zagueiro Tesillo e o meia Omar Pérez, que entra e sai da equipe, mas é o homem da bola parada.
 
Sporting Cristal
Classificação: Zebra
Jogador para ficar de olho: Lobatón, meia e capitão do Sporting Cristal, jogador de seleção, é o principal nome do time.
 
PVC: O Sporting Cristal perdeu o técnico e passará por reformulação. Vice-campeão em 1997, foi eliminado na fase de grupos nas duas últimas edições.
 
BIRNER: Sporting Cristal e o ganhador da fase anterior são zebras.
 
Ganhador 3
(U. de Sucre, M. Wanderers, Atlético Cerro, Unión Española ou The Strongest)


GRUPO 4 - Flamengo

San Lorenzo
Classificação: Pedreira
Jogador para ficar de olho: Belluschi, meio-campista completo.
 
TALES TORRAGA: O adversário do Flamengo tem hoje o ataque mais azeitado da Argentina, a versão sul-americana do BBC do Real Madrid - Blanco, Belluschi e Cauteruccio. E com Blandi, ex-Boca, de brinde. A defesa, porém, oscila demais, principalmente jogando no Nuevo Gasómetro, um dos estádios mais "brandos" de Buenos Aires. É o terceiro do Argentino, atrás de Boca e Newell´s, que não estão na Copa.
 
PVC: O San Lorenzo é dirigido por Diego Aguirre, semifinalista pelo Internacional em 2015, chegou às quartas de final de 2016 pelo Atlético, e mantém a base do ano passado, com Cauterruccio, Caruzzo, Ortigoza.
 
BIRNER: O San Lorenzo do treinador Diego Aguirre é taticamente competitivo no 4-1-4-1, mantém vários atletas da conquista da Libertadores e o centroavante Blandi merece atenção.
 
Universidad Católica
ClassificaçãoBriga por vaga.
Jogador para ficar de olho: Nicolás Castillo, atacante.
 
BIRNER: Universidad Católica, principal time do Chile na temporada, pode se classificar.
 
RAFAEL REIS: A Universidad Católica foi o melhor time do Chile em 2016 e conquistou os dois títulos do ano por lá. Briga por vaga.
 
Ganhador 1
(Atlético-PR, Millonarios, U. de Sucre, M. Wanderers ou Universitario)


GRUPO 5 - Palmeiras

Peñarol
Classificação: Briga por vaga.
Jogador para ficar de olho: Guzmán Pereira, volante.
 
PVC: O Peñarol contratou o técnico Leonardo Ramos, campeão uruguaio pelo Danúbio em 2014. A tentativa de tentar a reconstrução, no entanto, passa pela possível contratação de Cristian Rodriguez, o mesmo que fracassou no Grêmio e no Independiente. Na última campanha, foi 14o colocado no campeonato nacional de 2016.
 
BIRNER: Palmeiras é muito favorito. Peñarol terá que investir porque a campanha no semestre foi horrível.
 
RAFAEL REIS: A chave do atual campeão brasileiro tem mais armadilhas do que futebol, o que não a torna menos perigosa. Uma delas é o peso da camisa do Peñarol, um clube campeão de cinco Libertadores. 
 
Jorge Wilstermann
Classificação: Zebra
Jogador para ficar de olho: -
 
PVC: O Jorge Wilstermann classificou-se como campeão do Torneio Clausura. Cochabamba não tem a altitude de La Paz.
 
BIRNER: O elenco do Jorge Wilstermann é fraco e a altitude Cochabamba menor que as de Oruru, Potosí e La Paz. É zebra.
 
Ganhador 4
(Carabobo, Junior Barranquila, A. Tucuman e El Nacional)


GRUPO 6 - Atlético-MG

Libertad 
Classificação: Briga por vaga.
Jogador para ficar de olho: Cañete, meia ex-São Paulo e Portuguesa. 
 
BIRNER: Atlético é a pedreira. O Libertad do meia Cañete, nem sempre titular, e do rodado centroavante Santiago Salcido (35 anos), briga pela outra vaga contra o Godoy Cruz.
 
RAFAEL REIS: O clube brasileiro é, com folga, a principal força do grupo. Campeão do Apertura paraguaio, o Libertad conta com o ex-palmeirense Román e com Cañete, ex-São Paulo, e pode dar algum trabalho. 
 
Godoy Cruz
Classificação: Briga por vaga.
Jogador para ficar de olho: Jaime Ayoví, homem de área, oportunista.
 
PVC: O Godoy Cruz foi quarto colocado do Campeonato Argentino de transição, mas é o vigésimo do torneio atual, liderado pelo Boca Juniors, que está fora da Libertadores.
 
TALES TORRAGA: O Atlético Mineiro não deve encontrar dificuldades. O Godoy Cruz é só o 20º no Campeonato Argentino e a boa campanha da última temporada, quando terminou em segundo no seu grupo, rapidamente ficou no passado. Joga sua segunda Libertadores e não tem cacife para evitar a repetição da primeira, em 2011, quando foi eliminado logo de cara.
 
Sport Boys
Classificação: Zebra.
Jogador para ficar de olho: -
 
PVC: O Sport Boys não é o tradicional clube peruano. É da Bolívia e estreia na Libertadores.
 
RAFAEL REIS: Por fim, o nanico Sport Boys, da Bolívia, entra na Libertadores quase como café com leite.


GRUPO 7 - Chapecoense

Nacional
Classificação: Pedreira.
Jogador para ficar de olho: Hugo Silveira, centroavante alto, de área.
 
PVC: Martin Lasarte é o técnico do Nacional, que mantém jogadores como Sebastián Fernández, o goleiro Conde, o ponta Barcia, o volante Romero. Todos ajudaram a eliminar o Palmeiras na fase de grupos de 2016. Nico López foi embora, mas o Nacional foi campeão uruguaio.
 
BIRNER: O Nacional manteve a base da Libertadores, mas em vez de Nico López, que se mexe pelo gramado e foi rebaixado com o Internacional, atuou com Hugo Silveira, centroavante alto, de área. 
 
Lanús
Classificação: Pedreira.
Jogador para ficar de olho: Sand, de 36 anos, duas vezes artilheiro do Campeonato Argentino. 
 
PVC: O Lanús foi o campeão do Campeonato Argentino de transição, no primeiro semestre. Agora é o sexto colocado, mas segue treinado por Jorge Almirón, o treinador campeão. Atenção ao atacante Sand.
 
TALES TORRAGA: A Chapecoense que se cuide. Lanús e Nacional-URU são os favoritos à classificação, e a força do Lanús vem de um time entrosado e que tem um excelente jogador por linha - casos do zagueiro Gómez, do volante Barrientos e do experiente atacante Sand. O técnico Jorge Almirón está entre as surpresas do futebol argentino moderno. E a torcida é fanática como demonstrou bem ao Brasil na final da Sul-Americana contra a Ponte Preta em 2013.
 
Zuliá
Classificação: Zebra.
Jogador para ficar de olho: -
 
PVC: O Zuliá é presidido por Cesar Farias, único técnico a levar a Venezuela a uma vitória sobre o Brasil, em 2008. Pouco para ameaçar a Chapecoense.
 
BIRNER: O Zuliá e o ganhador da Copa Sul-Americana devem iniciar como incógnitas e zebras.


GRUPO 8 - Grêmio

Guaraní
Classificação: Briga por vaga.
Jogador para ficar de olho: -
 
PVC: O Grêmio tem tudo para confirmar ser o mais forte. Mais elenco, mais investimento. Mas o Guaraní foi o último campeão paraguaio, dirigido por Daniel Garnero, meia brilhante do Independiente de Avellaneda campeão da Supercopa Libertadores de 1994 e 1995. O Guaraní também tem o volante Palau, ex-Atlético Paranaense.
 
RAFAEL REIS: Tem a tarefa mais fácil entre todos os brasileiros. O Guaraní é o atual campeão paraguaio, mas está longe de meter medo. 
 
Zamora
Classificação: Zebra.
Jogador para ficar de olho: -
 
PVC: O Zamora chega sem destaques, mas como campeão venezuelano.
 
RAFAEL REIS: O Zamora é da Venezuela, o que já diz muito sobre seu potencial. 
 
BIRNER: Zamora tem menos qualidade que os outros integrantes do grupo.
 
Deportes Iquique
Classificação: Briga por vaga.
Jogador para ficar de olho: Diego Torres, meio-campista.
 
BIRNER: Deportes Iquique pode brigar pela vaga. Os chilenos atuam com dupla de zaga argentina, o volante Bustamante do mesmo país ao lado de Riquero, uruguaio, além do meia 'hermano' Diego Torres.
 
RAFAEL REIS: Deportes Iquique ganhou destaque no Chile mais pelo declínio de forças tradicionais, como Universidad de Chile e Colo Colo, do que por méritos próprios.
 
PVC: O técnico do Iquique é Jaime Vera, jogador do Colo Colo que eliminou o São Paulo na fase de grupos de 1987.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos