Nem tudo foi ruim. Conheça cinco motivos para o São Paulo comemorar 2016

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

  • Felipe Espindola/sãopaulofc.net

    Rodrigo Caio se consolidou no São Paulo e passou a ser convocado para a seleção

    Rodrigo Caio se consolidou no São Paulo e passou a ser convocado para a seleção

O São Paulo fechou a temporada 2016 sem conquistar nem um título sequer. Para piorar a situação, o time brigou durante boa parte do Campeonato Brasileiro para fugir da possibilidade de rebaixamento para a Série B. Fora de campo, o clube vive um momento turbulento político e com uma saúde financeira que inspira cuidados.

Por isso, até mesmo o presidente tricolor, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, fez um balanço negativo da temporada. Porém, se o torcedor tentar olhar de maneira mais positiva, vai encontrar alguns motivos para comemorar. Conheça abaixo cinco razões para os tricolores abrirem um sorriso quando pensarem em 2016.

Revelações das categorias de base

Quem ajudou o São Paulo a espantar de vez qualquer possibilidade de rebaixamento foi a dupla promovida das categorias de base David Neres e Luiz Araújo. Além dos dois meia-atacantes, o clube aposta muito no meia Lucas Fernandes, que se recupera de lesão e volta a jogar em 2017, e no atacante Pedro. O quarteto virou uma das principais esperanças do técnico Rogério Ceni, que pretende trabalhar com jovens das categorias de base. O lateral esquerdo Júnior Tavares e o meia Shaylon também podem aparecer como novidades na equipe comandada pelo ex-goleiro.

Estatuto

Os sócios do clube aprovaram o novo estatuto. Entre as mudanças com a aplicação do texto estão o fim da reeleição presidencial, a profissionalização do presidente e dos diretores executivos, além da criação de um Conselho de Administração. Inspirado em modelos empresariais, o órgão contará com nove integrantes e será responsável por orientar e dar diretrizes de como deve ser feita a gestão do clube, além de aprovar atos. A eleição para presidente também passa de abril para dezembro, a partir de 2020. Outra mudança cogitada no pleito é a participação de sócios ou sócios-torcedores. Porém, o mandatário eleito em abril de 2017 terá 12 meses para fazer um estudo sobre o assunto. Em 2023, o texto ainda deve passar por uma nova revisão.

Recordes de público

A torcida tricolor fez a sua parte quando necessário. Na campanha da Copa Libertadores, o público lotou o Morumbi para empurrar o time. Com 61.766 pessoas, na semifinal com o Atlético Nacional da Colômbia, o Tricolor obteve o recorde de público brasileiro deste ano na competição continental. Já na Série A do Brasileiro, o maior público é da partida contra a Chapecoense, também no Morumbi, com 54.996 pessoas. A melhor renda no país em 2016 também é tricolor, no jogo com o Atlético Nacional, o São Paulo registrou R$ 7.526.480 com a venda de ingressos.

Valorização de Rodrigo Caio

O zagueiro, de 23 anos, conseguiu se consolidar como uma das principais peças do time. Além de boas atuações pelo São Paulo, ele colocou no currículo a conquista da medalha de ouro na Olimpíada do Rio, quando atuou em todas as partidas como titular. Também passou a ser convocado para a seleção de Tite nas Eliminatórias para a Copa do Mundo. Com isso, o defensor passou a ser um dos jogadores mais valorizados do futebol nacional neste momento.

Volta de Rogério Ceni

Menos de um ano depois de pendurar as luvas, o ex-goleiro voltou ao clube. Rogério Ceni aproveitou a temporada longe dos gramados para estudar e se preparar para assumir o comando do time. A partir de janeiro de 2017, a equipe será dirigida pelo ex-goleiro. Rogério Ceni quer revolucionar ao trazer conceitos do futebol europeu para o Brasil. A estreia será em janeiro, nos Estados Unidos, na Florida Cup.

Quer receber notícias do São Paulo de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos