Polícia argentina isenta meia do Atlético-PR de participação em assassinato

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

  • Divulgação

    Luciano Cabral, meia do Atlético-PR

    Luciano Cabral, meia do Atlético-PR

A polícia de Mendoza, na Argentina, descartou a participação do meia argentino naturalizado chileno Luciano Cabral, do Atlético-PR, no assassinato de Joan Villegas, 27 anos, após uma briga de rua. O pai do atleta, entretanto, está preso acusado de envolvimento no crime ocorrido no último domingo (1).

José Cabral, de 42 anos, se apresentou à polícia e foi levado à prisão. Além dele, um menor de 17 anos, que seria o irmão de Luciano, também foi apreendido.

A briga se iniciou após uma discussão entre a vítima e amigos de Cabral. O homem atingido e morto tinha sido libertado da prisão havia apenas um mês. A suspeita é de que a briga foi motivada por uma dívida pendente. A polícia local confirmou que não está em busca do jogador, que ainda não se manifestou publicamente.

O meia tem 21 anos e está emprestado ao Atlético-PR até junho deste ano, com opção de compra. Seus direitos pertencem ao Argentinos Juniors. Ele disputou seis partidas pelo Furacão no Brasileirão e não marcou gols.

Quer receber notícias do Atlético-PR de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos