Sem Libertadores, Corinthians perde R$ 7 milhões em saída de patrocinadores

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • MARCOS BEZERRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Em dificuldade financeira no início do ano, o Corinthians viu dois de seus parceiros optarem pela não renovação de contratos de patrocínio. Special Dog e Tim preferiram não seguir em 2017, ano que o clube ficou de fora da disputa da Copa Libertadores. 

A primeira marca, que patrocinava o calção desde 2015, rendia R$ 3,5 milhões por temporada. O contrato se encerrou no fim do ano passado e a empresa avisou que não gostaria de renovar. A Special Dog se declarou satisfeita com a exposição obtida por meio do Corinthians e viu suas atividades crescerem, mas entendeu que não seguiria. 
 
Parceira do Corinthians há muitos anos, a Tim patrocinava o número da camisa. O acordo cresceu de forma expressiva em 2016 e passou a R$ 3,5 milhões por temporada. Entretanto, o contrato que se encerra em janeiro deste ano não será renovado. A empresa entende que deve mudar seu foco de São Paulo para outras regiões do Brasil. 
 
O departamento de marketing tem negociações abertas e acredita que pode anunciar parceiros novos neste mês de janeiro. Estar de fora da Copa Libertadores, porém, é um elemento dificultador nas tratativas. 
 
Após o título brasileiro de 2015, o Corinthians viu crescer praticamente todos os patrocínios da camisa. Special Dog elevou seus números em 300%, a Tim em 40%, a Caixa em 30% com a abertura de espaço para a barra da camisa, comprado pela empresa Apolo por R$ 12 milhões/ano. 
 
Na última quinta, em reunião no Parque São Jorge, o vice-presidente André Luiz de Oliveira expôs a situação financeira difícil do clube e fez apelo para que os departamentos economizem e encontrem novas fontes de receita para amenizar o quadro. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos