Discussão sobre mecanismo de solidariedade atrasa apresentação de Jesus

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

  • Cesar Greco/Fotoarena

Depois do acerto da negociação de Gabriel Jesus, Palmeiras e Manchester City demoraram a entrar em um acordo por uma pequena cláusula da negociação: o mecanismo de solidariedade, conforme apuração do UOL Esporte com pessoas próximos ao atleta.

Essa lei da Fifa beneficiará financeiramente o Anhanguera, equipe que o atacante atuou antes de ser integrado à base do Palmeiras e tem direito a receber uma compensação. 

Com a trava, City e Palmeiras não conseguiam preencher os documentos necessários para que a Fifa liberasse toda a transação.

O contrato entre jogador e clube já está assinado, mas não era oficializado pela Fifa, o que impedia que o atleta pudesse trabalhar para a equipe inglesa. 

Por isso, a apresentação de Gabriel Jesus foi adiada. A diferença, no entanto, nunca preocupou os clubes. Prova disso é que a equipe inglesa já havia depositado parte do pagamento ao Palmeiras.  

A negociação foi fechada com o valor de quase 33 milhões de euros, o que hoje significa cerca de R$ 112 milhões, mas chegou a valer R$ 121 milhões na cotação em que o acordo foi finalizado. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos