Prestigiado, Dorival escapou de ser demitido do Santos durante o Brasileiro

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Divulgação/Santos FC

    Dorival quase foi demitido após eliminação do Santos na Copa do BR para os reservas do Inter

    Dorival quase foi demitido após eliminação do Santos na Copa do BR para os reservas do Inter

Dorival Júnior completa no próximo dia 9 a marca de 18 meses à frente do Santos, a maior de um treinador entre todas as equipes da última Série A. O técnico campeão paulista e vice do Campeonato Brasileiro, entretanto, poderia não começar 2017 à frente do clube já que escapou por pouco de uma demissão no fim no último ano.

Mais do que isso, parte da diretoria já tinha até um nome para substituí-lo. Trata-se de Claudinei Oliveira, ex-técnico santista em 2013 e conhecido no clube por ter formado uma geração vitoriosa nas categorias de base, bicampeã da Copa São Paulo em 2013 e 2014.

Claudinei está em alta no mercado pelo acesso à elite do Brasileiro com campanha avassaladora comandando o Avaí. Ele assumiu a equipe catarinense em agosto e conseguiu arrancada surpreendente, com 12 vitórias e quatro empates.

A ameaça a Dorival aconteceu em 19 de outubro, após a eliminação precoce na Copa do Brasil para o Internacional, já em crise e que, posteriormente, seria rebaixado para a Série B. Os gaúchos atuaram com os seus reservas pensando no clássico contra o Grêmio, pelo Brasileiro.

Na ocasião, o Santos ocupava apenas a quarta colocação na competição nacional, sem a classificação direta para a fase de grupos da Libertadores (já que ainda não havia aberto uma vaga extra para times brasileiros). O que salvou Dorival foi uma vitória improvável, fora de casa, contra a Chapecoense, dias depois da eliminação. Além disso, o treinador contou com o apoio do presidente Modesto Roma Júnior nos bastidores.

A equipe venceu por 1 a 0 e, na sequência, repetiu o placar contra o líder Palmeiras, diminuindo a diferença para o futuro campeão de 12 para seis pontos em apenas duas rodadas, voltando a sonhar com o título.

A possibilidade de demissão foi alimentada pelo temor por mais um fim de ano sem chegar ao torneio internacional. No clube, muitos dirigentes não esqueceram a derrota para o Palmeiras na final da Copa do Brasil e, principalmente, o fracasso nas rodadas finais do Brasileiro quando ocupava a quarta vaga na competição, mas acabou desperdiçando a oportunidade de G-4.

Na ocasião, a decisão de Dorival de poupar jogadores foi apontada como um erro. O treinador justificou que partiu de informações de exames e de relatórios de todos os profissionais do departamento de futebol.

No fim do último ano, o treinador consolidou a segunda colocação e a ida direta para a competição sul-americana após quatro anos de ausência do clube. A primeira vez após a era Neymar.

Agora novamente com moral, mesmo de férias nos Estados Unidos, Dorival tem acompanhado de perto a movimentação do clube no mercado. Para 2017, contará com o volante Leandro Donizete, com quem já trabalhou no Coritiba e aprecia o trabalho.

Um dos principais pedidos do treinador, a reposição de um zagueiro devido as perdas de Gustavo Henrique e Luiz Felipe, que sofreram lesões ligamentares nos joelhos, também foi atendida com a chegada de Cleber, do Hamburgo.

Além deles, o Santos fechou as contratações dos atacantes Vladimir Hernández, do Junior Barranquilla, da Colômbia, e Kayke, que estava no Yokohama Marinos, além do lateral direito Matheus Ribeiro, do Atlético-GO. O clube ainda busca por outros nomes para fechar o grupo para o início da temporada 2017.

Quer receber notícias do Santos de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos