Gestão Doria interdita e danifica quadras reformadas por time de bairro

Adriano Wilkson

Do UOL, em São Paulo

A nova gestão da prefeitura de São Paulo, comandada por João Doria (PSDB), tirou moradores de rua de uma praça no centro da cidade e os realocou em uma das duas quadras de futebol improvisadas há anos embaixo do viaduto 9 de julho. Interditada, a quadra deixou de ser usada por crianças e adolescentes da Bela Vista, um bairro carente de equipamentos esportivos públicos.

Ao lado da quadra onde os moradores de rua foram realocados, a prefeitura ainda causou estragos na pintura e na conservação de uma segunda quadra que havia sido recentemente reformada pela comunidade. A ação faz parte do programa "Cidade Linda", que pretende limpar e embelezar a cidade.

A chegada dos moradores de rua irritou parte dos vizinhos, que dizem que centenas de crianças, em férias escolares, estão sendo prejudicadas por não terem mais onde jogar bola.

Adriano Wilkson/UOL

O time de futebol 14 Bis, fundado há um ano por jovens do bairro Bela Vista, havia tirado dinheiro do próprio bolso para pintar as marcações no piso e as traves. A quadra, que é uma das quatro públicas disponíveis no populoso bairro, foi reformada para um campeonato no fim do ano passado.

O espaço abaixo do viaduto havia sido originalmente transformado em quadras de futebol por uma antiga associação de moradores.

A equipe responsável pela reforma vê o local como sua "casa". "É aqui que mandamos nossos jogos", diz Hugo Gonçalves, jogador e fundador do 14 Bis.

Antes, o concreto do viaduto exibia grafites com o nome da equipe e outras imagens significativas para os jovens que frequentam o espaço. Na última quinta-feira, elas foram apagadas por funcionários da prefeitura, que pintaram as paredes de cinza. A tinta escorreu pelo chão, apagando parte da marcação da quadra, e caiu nas traves.

Adriano Wilkson/UOL
Pintura do viaduto caiu sobre a quadra, sujando as traves e apagando parte da marcação

A quadra ficou empoeirada e suja. Uma tela verde foi colocada em volta, diminuindo a iluminação de toda área abaixo do viaduto. "Eu acho que a lona é pra ninguém ver os moradores [de rua], pra sociedade não ver", diz Hugo, repetindo uma interpretação comum entre jogadores, moradores de rua e vizinhos.

Em contato com a reportagem, um funcionário da prefeitura confirmou a pintura e disse que a tela foi um pedido dos moradores de rua, o que eles negam.

"Agora a quadra está bem pior", disse Hugo, "principalmente para quem tem asma. Vamos tentar limpar o chão e pensamos em tirar a lona, mas como foram eles [a prefeitura] que colocaram, não vamos tirar não."

Adriano Wilkson/UOL

Mais cedo, a reportagem já havia encontrado adolescentes com as roupas e as mãos cheias de pó e sujeira depois de tentar jogar bola no espaço. "A prefeitura pintou a quadra e estragou", disse Igor Prata Penteado, de 14 anos, ao lado do pai. "Estamos de férias e isso está estragando nossas férias".

Moradores de rua se viram forçados a ocupar o espaço

Dezenas de barracas abrigam cerca de 60 pessoas embaixo do viaduto da Av. 9 de Julho. Antigos ocupantes da praça 14 Bis, elas dizem ter sido realocadas lá no último dia do ano para dar espaço à primeira ação de Doria como prefeito: a limpeza da praça. Na ocasião, Doria e seus secretários se vestiram de garis para varrer simbolicamente o local.

"No dia 31 de dezembro, a assistente social avisou que era pra gente tirar tudo, que no dia 1º o prefeito ia assumir e o rapa ia tirar a gente", afirma o pintor de paredes Robson da Silva, que vive com sua mulher em uma barraca. "Em cima da hora avisaram que a gente tinha que vir pra quadra."

"Viemos por livre e espontânea pressão", diz Carlos Roberto, o Barba, acrescentando que o ideal é que eles não fiquem muito tempo no espaço. "Não estamos tirando o espaço de ninguém. É um local do povo e nós também somos povo. Não queremos que a população se volte contra nós".

Adriano Wilkson/UOL

De acordo com eles, a prefeitura os informou que ficarão apenas provisoriamente na quadra embaixo do viaduto. No último sábado, João Doria deu um prazo de 90 dias para a realocação dos moradores de rua. Tanto moradores quanto jogadores do 14 Bis dizem que a convivência entre os dois grupos tem sido cordial.

Apesar disso, em conversas com habitantes vizinhos do bairro, a reportagem ouviu pelo menos dois deles sugerindo medidas violentas contra os moradores em situação de rua, como "tocar fogo" em suas barracas.

Vizinhos tentam encontrar solução junto à prefeitura

Um grupo de vizinhos da Bela Vista tem se reunido entre si e com a prefeitura para encontrar uma saída para o impasse. Eles destacam que querem uma solução que seja boa tanto para os moradores de rua, quanto para os vizinhos que precisam de um local para lazer e esporte.

"Quando o novo prefeito tomou posse", disse Maicon Ferreira, que tem um apartamento há três anos no bairro, "ele começou a fazer as obras que são muito boas, porém estão maquiando muita coisa. Não adianta tirar da rua e colocar debaixo do viaduto e colocar tapume verde pra dizer que está tudo bem. A gente não quer que simplesmente limpe eles do dia pra noite, sabemos que não é fácil. Queremos que deem moradia pra eles e pensem um pouco nos moradores também".

Além das duas quadras embaixo do viaduto, a Bela Vista tem apenas outras duas quadras poliesportivas disponíveis para uso público. Com população estimada de cerca de 70 mil pessoas, o bairro, central, abriga famílias de baixa, média e alta renda, essas últimas principalmente nas partes mais próximas à Av. Paulista.

Prefeitura promete recuperar quadras

Procurada pela reportagem, a prefeitura de São Paulo não respondeu especificamente a perguntas sobre as ações que levaram aos danos na quadra relatados pelos moradores da região, mas disse que o espaço será revitalizado. A prefeitura também diz que limpou uma área ao lado das quadras e "dialogará" com a população em situação de rua para que ajude na conservação do espaço.

A prefeitura disse que instalou telas em volta do local por razões de segurança.

Leia a nota da prefeitura:

A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) se reuniu com representantes de moradores e comerciantes da região e também com a população em situação de rua, entidades e a GCM [Guarda Civil Metropolitana]. Esse diálogo será realizado de forma constante, inclusive com o compromisso para que a população em situação de rua participe das intervenções e ajude na conservação do novo espaço.

Nenhum espaço público foi perdido. A Prefeitura inclusive devolveu à população a área pública que era usada irregularmente por um estacionamento particular. Também foi retirado um caminhão de entulho de uma área ao lado das quadras. A administração municipal recuperará ainda esses equipamentos esportivos.

Após diálogo entre agentes da SMADS e as pessoas em situação de rua que ocupam provisoriamente a quadra, na Avenida 9 de Julho, a Prefeitura instalou telas no local para proteção dos moradores. A expectativa é que as pessoas que se encontram no local sejam encaminhadas para vagas de acolhimento, moradia e emprego, o mais breve possível.

Informações complementares

A Secretaria Municipal de Assistência Social (SMADS) está atuando junto às pessoas em situação de rua, na região da praça 14 Bis, para que aceitem os encaminhamentos da rede. Momentaneamente, por razões de segurança, os agentes indicaram a quadra próxima ao local, onde parte dos moradores em situação de rua ficava anteriormente.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos