Corinthians volta das férias com PM na porta e protesto de 200 torcedores

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

Mais de 200 torcedores organizados do Corinthians protestaram em frente ao CT Joaquim Grava na tarde desta quarta-feira. Diante da iminente manifestação, o clube pediu reforço à polícia.

Inicialmente, cerca de 40 integrantes estavam no local. Em seguida, três ônibus da Gaviões da Fiel chegaram ao CT. Nesse momento, faixas foram colocadas no muro do Centro de Treinamento. 

Na manifestação, o ex-presidente Andrés Sanchez e o atual mandatário Roberto de Andrade foram citados. Além deles, o vice André Negão e o agente Fernando Garcia foram mencionados. Os torcedores citaram os gastos com a Arena Corinthians e a base do clube, que foi classificada como "balcão de negócios".

A torcida também gritou frases contra a diretoria. Entre elas: "Ou joga por amor ou joga por terror", "Tem que ser homem para jogar no Coringão" e "Alô, Roberto. Alô, Andrés. O Coringão não precisa de vocês".

Diante da possibilidade de hostilidade na entrada do CT, a polícia militar foi acionada. Três viaturas da PM estiveram no local. De acordo com a assessoria de comunicação da corporação, o patrulhamento deixou a área de treino do Corinthians após conferir que não havia risco de tumultos. Depois, no entanto, viaturas e motos da PM voltaram ao local.
 
Nesta terça-feira, a Gaviões da Fiel anunciou a intenção de realizar um protesto diante do CT. O objetivo, segundo comunicado divulgado pela facção, é cobrar "garra, raça, entrega total" em campo dos jogadores em 2017.
 
Dassler Marques/UOL Esporte
 
Quer receber notícias do Corinthians de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos