Temporada ruim? Neymar é melhor da Europa para site especializado

Bruno Doro e João Henrique Marques

Do UOL, em São Paulo e Barcelona (ESP)

No domingo, o Barcelona tropeçou no Villareal e Neymar saiu de campo criticado. Um dos pilares do trio MSN, o atacante brasileiro foi atacado por alguns jornais espanhóis. O Marca, de Madri, por exemplo, disse que o trio é "muito M, pouco S e nada N", lembrando que Messi e Suarez têm se destacado mais do que o brasileiro. A seca de gols é a chave para tudo isso.

Neymar não marca há 11 jogos. Pior: sua média de gols na temporada, balançando as redes uma vez a cada três jogos, é a pior desde que chegou à Europa. Em seu primeiro ano por lá, por exemplo, marcou uma vez a cada 193 minutos (ou pouco mais de dois jogos por gol).

Nem todos, porém, consideram a atual fase do ex-atacante do Santos um desastre. Para o site WhoScored, especializado em estatísticas de futebol, o brasileiro é o melhor jogador em atividade nas cinco grandes ligas do futebol europeu. O atacante do Barcelona tem nota média 8,21. Ele supera, por exemplo, seu companheiro de ataque Messi, com 8,13.

Atrás dos dois está outro ligado ao Barcelona, o meio-campista Thiago Alcântara (8,06), do Bayern de Munique. O meia Eden Hazard (7,93), do Chelsea, é o quarto da lista e o atacante Alexis Sanchez (7,89), do Arsenal, o quinto. Completam os 10 melhores da Europa o atacante Dzeko (7,87), da Roma, os meias Philippe Coutinho (7,85), do Liverpool, e Pogba (7,85), do Manchester United, e os atacantes de lado de campo Bale (7,84), do Real Madrid, e o também brasileiro Felipe Anderson (7,84), da Lazio.

Esses números não são opiniões aleatórias baseadas na observação de uma pessoa, como costumam ser dadas as notas no Brasil. O site usa 200 estatísticas gerados a cada partida e um algoritmo para transformar números em notas de 0 a 10 (a pontuação base é 6). Enquanto você olha para o ataque e analisa chutes a gol, chutes certos ou assistências, o site leva em conta tentativas de dribles, dribles certos, passes para companheiros avançados, bolas que geraram conclusões a gol, cruzamentos certos ou errados, além de gols e assistências. Além disso, o resultado da partida e a qualidade do adversário (baseada em posição no torneio e rendimentos ofensivos e defensivos) também é levada em conta para formar a nota de cada jogador. Até a influência que cada posição tem em um resultado (o atacante, mesmo sem ter participado de gols, recebe pontos em goleadas, assim como um zagueiro em partidas em que a defesa não é vazada) entra na conta.

Essas notas consideram apenas as atuações nos campeonatos nacionais. Liga dos Campeões ou de copas locais têm sua própria lista. Mesmo assim, na Champions, o desempenho de Neymar não deve ser ignorado. Foram apenas dois gols em cinco partidas, é verdade, mas a sua importância na criação tem sido impressionante. São sete assistências para gol – quem chega mais perto é o francês Ousmane Dembelé, do Borussia Dortmund, com cinco assistências.

Para a imprensa espanhola, esses números de assistências são a prova mais importante de que o brasileiro tem, sim, uma boa temporada - apesar dos 11 jogos de seca. "Logo de cara, é preciso fazer uma ressalva sobre Neymar: ele não fez pré-temporada. Sofreu fisicamente para atingir o nível de outros anos. Para mim, ele é a maior tendência de crescimento do elenco. Outro aspecto importante são as assistências. Esse dado tem muito valor, principalmente, em jogos equilibrados com passes sendo mais complicados do que os próprios gols. Olhar 11 jogos de jejum e criticar é fácil, mas o importante é você saber analisar como um todo. A expectativa é de que chegasse em janeiro com melhor marca de gols, mas no geral a temporada é boa", elogia Bruno Alemany, da rádio Cadena SER, de Barcelona.

É a mesma opinião de Roger Torello, do jornal Mundo Deportivo. "Posso te falar de um jogo ruim: o 0 a 0 contra o Málaga [em que o Barça jogou sem Suárez e Messi]. Nos demais, o Neymar tem nível alto. Isso é uma regularidade. Nos dois últimos jogos do time, por exemplo [contra Athletic de Bilbao e Villarreal], teve boa atuação", explica. E arrisca uma teoria sobre porque as críticas sobre o brasileiro são tão grandes. "A exigência com ele é gigantesca. E essa regularidade precisa ser convertida em gols. Caso contrário, ninguém vai se lembrar dos bons jogos dele em que o Barça fracassou". Você concorda?

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos