Alexandre Mattos torce por Drogba no Corinthians e lembra 'caso Zé Roberto'

Do UOL, em São Paulo

Em meio à tentativa do Corinthians de contratar o atacante Didier Drogba, o diretor de futebol do Palmeiras, Alexandro Mattos, surpreendeu em entrevista à ESPN Brasil ao afirmar que torce para que a negociação dê certo.

"Sinceramente é legal [a possibilidade de Drogba no Corinthians], tomara até que aconteça", disse no programa Bate Bola.

Ele citou o "caso Zé Roberto" para defender que a idade de um jogador de alto nível não é tão determinante para seu rendimento quando ele cuida da forma de atleta.

"É importante ter os grandes jogadores do mundo olhando para o Brasil, o Zé Roberto é o grande exemplo, a prova viva de que a idade não pesa tanto quando o atleta se cuida", avaliou Mattos, em alusão aos 38 anos de Drogba. 

"O Palmeiras não é um balcão de negócio"

Outra frase de impacto da entrevista de Mattos ao programa da ESPN Brasil foi em relação às propostas pelo zagueiro colombiano Mina. Ele admitiu que recebe "muitas ligações" sobre o defensor, mas que o Palmeiras "não é um balcão de negócio".

"O Mina muita gente liga, mas ele está tranquilo. O Mina tem cinco meses de Palmeiras, aqui não é balcão de negócio, aqui a preocupação é técnica, claro que preocupação financeira vem depois de um ciclo", declarou.

Com efeito, Mattos sustentou a permanência de Mina no Palmeiras na temporada 2017. Ele também explicou que a preferência de compra do zagueiro para o Barcelona foi um artifício para evitar a ida dele para o futebol alemão, em vez de vir para o Palestra. 

"Ele quer ganhar o Paulista, que não ganhamos há nove anos, quer ganhar a Libertadores, tentar disputar o Mundial, ganhar a Copa do Brasil que ele não ganhou, mais um Brasileiro. O Mina sabe disso tudo, talvez depois da Copa do Mundo, ano de Copa do Mundo, talvez seguir depois o seu caminho, que é justo", explicou Mattos.

Em outros trechos da entrevista, o diretor de futebol do Palmeiras voltou a destacar que o clube está "redondo" financeiramente e afirmou que o clube trabalha com o orçamento que tem em caixa, sem projeção de possíveis ganhos futuros. 

Mattos também ratificou que nunca chegou a apresentar propostas pelo atacante Borja, do Atlético Nacional, cujo preço está estipulado em 20 milhões de euros, nem por Lucas Pratto, do Atlético-MG.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos