Comissária de voo da Chape diz que não recebeu seguro e deve a clínica

Do UOL, em São Paulo

  • REUTERS / Fredy Builes

A comissária Ximena Suárez, uma das seis sobreviventes do voo da Chapecoense, revelou que está devendo US$ 13 mil (R$41 mil) à clinica na qual fiou hospitalizada na Colômbia pois a seguradora Bisa ainda não pagou a apólice.

"O voo tinha um seguro da empresa Bis ano valor de US$ 25 milhões, mas nem sequer pagaram a conta do hospital de Medellín. Neste momento Ximena está devendo 13 mil dólares. Não querem nem entregar a fotocopia do seguro, se recusam a entregá-la ", afirmou o advogado Carlos Subirana em entrevista ao canal Unitel.

"Estamos apresentando à procuradoria uma denúncia contra os executivos da companhia Bisa para que o Ministério Público exija sua apreensão. Para que eles cumpram com as responsabilidades não só com ela (Ximena), mas também com as outras vítimas deste acidente", completou.

"Em nenhum momento ninguém desta empresa se aproximou para fornecer auxílio. Estou em contato direto com o pessoal da clínica que sempre me questiona sobre o pagamento", disse Ximena.

 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos