Por que Sevilla vaia Sergio Ramos e aplaude Daniel Alves e Rakitic?

Do UOL, em São Paulo

  • AFP

    Momento em que Sergio Ramos responde às provocações da torcida do Sevilla

    Momento em que Sergio Ramos responde às provocações da torcida do Sevilla

Sergio Ramos foi o maior personagem do Sevilla x Real Madrid da última quinta, que terminou com um 3 a 3 emocionante e o time merengue avançando na Copa do Rei. O zagueiro bateu o pênalti que iniciou a reação da sua equipe, provocou e foi vaiado pela torcida do clube que o revelou para o futebol. Na saída do estádio Ramon Sanchez Pizjuan, ele se recusou a pedir desculpas e questionou: Por que Rakitic e Daniel Alves, que trocaram o Sevilla pelo Barcelona, são tratados como "deuses" e ele é xingado?

Como Sergio Ramos, os dois jogadores trocaram o Sevilla por um gigante do país – no caso deles, o Barcelona. Em todos os seus retornos à cidade, no entanto, sempre foram ovacionados pelo público, ao contrário do capitão do Real Madrid.

Na última quinta, a Biris Norte, espécie de torcida organizada que se posiciona atrás de um dos gols do Sanchez Pizjuan, vaiou Sergio Ramos o jogo inteiro. Quando o zagueiro marcou o segundo gol do Real, com um pênalti de cavadinha, foi a esse setor do estádio e colocou as mãos nos ouvidos, provocando os torcedores.

"Pedi perdão a Preferência, Gol Sul e Fondo [nomes dados aos outros setores do estádio], que são aqueles que não me insultaram. À outra parte, se te vaiam e xingam tua mãe... Peço perdão a uma parte. Aos outros, não", disse Sergio Ramos após o jogo, segundo o AS.

Os dois lados se irritaram. Emilio Butragueño, ídolo do Real e hoje diretor do clube, falou que é "inaceitável" tratar daquela forma um ídolo espanhol. Tanto Real quanto Sevilla protestaram à RFEF (Real Federação Espanhola de Futebol) pelas provocações da torcida e de Sergio Ramos, respectivamente. Para piorar, os dois times se enfrentam novamente no próximo domingo, pelo Campeonato Espanhol, novamente em Sevilha. 

VEJA, ABAIXO, OS GOLS DO 3 A 3 ENTRE SEVILLA E REAL

Por que Sergio Ramos é persona non grata em Sevilha?

A resposta diz bastante sobre a carreira e a imagem de um dos jogadores mais vitoriosos da história do futebol espanhol. Sergio Ramos trocou o Sevilla pelo Real Madrid em 2005 por 27 milhões de euros, valor recorde para um defensor da sua idade (19 anos). O problema foi a forma como ele conduziu a negociação, na visão do torcedor andaluz.

"O que aconteceu com Rakitic ou Alves [ser aplaudido no retorno à cidade] não ocorrerá com ele. Sua maneira de sair, supostamente pagando a cláusula de rescisão e forçando a saída ao Real Madrid, somadas às declarações de [Jose Maria, ex-presidente do Sevilla à época] Del Nido, que foram respondidas pelo próprio Ramos, criaram o caldo para que ele nunca fosse mais bem recebido", escreveu Jaime Parejo, colunista do Diario ABC de Sevilha.

Sergio Ramos teria dito, internamente, que gostaria de ser capitão do Sevilla no que seria o centenário do clube. No fim daquela janela de transferências, porém, ele teria aceitado que o Real pagasse a sua cláusula de transferência, deixando o Sevilla "na mão".

Ao longo dos últimos 12 anos, Sergio Ramos tentou diversas vezes a reaproximação. Nascido na região, ele sempre declarou Sevilha como sua casa e comemorou diversos de seus títulos homenageando Antonio Puerta, ídolo do clube que morreu de forma trágica, em decorrência de uma parada cardíaca em campo, em 2007. A atual diretoria do clube chegou a pedir que a torcida poupasse o zagueiro na última quinta, mas não obteve sucesso. Pelo contrário. A animosidade entre as partes atingiu seu pior momento.

Outro lado: Sergio Ramos não teria culpa

A polêmica no jogo de quinta fez com que o caso original fosse revivido pela imprensa espanhola. Cristóbal Soria, ex-dirigente do Sevilla, disse ao programa El Chiringuito, da rede Atresmedia, que o verdadeiro culpado pela venda de Sergio Ramos é justamente o ex-presidente Jose Maria Del Nido, que chegou a ser preso por envolvimento em um caso de corrupção.

"Del Nido mentiu, adulterou a realidade", disse Soria. Segundo ele, a cláusula de rescisão de Sergio Ramos não foi paga integralmente, como ele divulgou à época à imprensa. O cartola alega que o zagueiro queria ficar, mas a diretoria do clube optou por negociá-lo com o Real Madrid para receber o valor da transferência, ainda que de forma parcelada.

"Del Nido vendeu aos torcedores que o Real Madrid pagou a cláusula, quando na verdade não foi assim. Houve negociação e se pagou a quantidade que marcava a cláusula. Mas teve negociação", disse o jornalista José Luis Sanchez, do canal Atresmedia, reforçando que a saída nunca foi à revelia do Sevilla.
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos