Corinthians é favorito, mas Jadson marca reunião com dúvidas sobre o futuro

Dassler Marques, Diego Salgado e Victor Martins

Do UOL, em São Paulo e em Belo Horizonte

Com rescisão de contrato em mãos após deixar o Tianjin Quanjian-CHN, Jadson chega ao Brasil na noite de quarta-feira e tem uma reunião fundamental no dia seguinte. Com prioridade ao Corinthians, com o qual conversa há algumas semanas, o meia irá se sentar com seus empresários para retirar dúvidas - Atlético-MG e São Paulo correm por fora no negócio. 

A principal questão diz respeito aos últimos dias da conversa com o Corinthians. A posição do diretor de futebol Flávio Adauto causou irritação nos representantes em dois episódios: primeiro, quando ele declarou que Jadson tinha rescindido o contrato na quinta-feira - o que só ocorreu quatro dias depois. Em segundo lugar, os agentes reprovaram declarações de que o Corinthians não faria leilão pelo jogador. 

Apesar disso, o retorno ao Corinthians é tratado como prioridade por Jadson e seus representantes. O clube está disposto a oferecer um contrato de três temporadas, o que é o desejo do atleta aos 33 anos, e salários no mesmo patamar que ele recebia em 2015, quando foi atuar na China: na faixa de R$ 400 mil mensais. 

O estafe de Jadson também trabalha com a informação do interesse do Atlético-MG, mas acredita ser menor a possibilidade do jogador atuar por lá. Na própria direção do clube, há certa divisão entre avançar ou não por uma proposta pelo meia, já que a prioridade de mercado dos atleticanos é por zagueiros e, sobretudo, volantes. O Galo não está disposto a fazer loucuras financeiras para ter Jadson. O São Paulo fez sondagens, mas também não acredita poder pagar um alto salário por ele. 

Embora inicialmente trabalhasse com a intenção de receber 100% do contrato que tinha na China, com vigência até dezembro de 2017, Jadson abriu mão de parte desses salários para poder rescindir e voltar ao Brasil. A informação foi explicada por Marcelo Robalinho, agente do empresário, à Rádio Transamérica.

"A minha ideia era pressionar o clube (Tianjin Quanjian) a tomar uma decisão. Estão contratando jogadores, trouxeram o Witsel, fizeram proposta ao James Rodríguez, ao Diego Costa, e queríamos que tomassem uma posição porque só podem jogar três estrangeiros. Não era interessante para o futuro dele, campeão na China, líder de assistências, ficar como um suplente", explicou o agente. 

"A nossa estratégia foi pedir a renovação de contrato por um ano nos valores do que estão chegando. O clube sinalizou com renovação em valores próximos aos de hoje. Dessa forma, se ele não está valorizado como deveria, o caminho é a rescisão. O acordo foi formalizado hoje", concluiu Robalinho. 

O Corinthians tem seis reforços confirmados (Jô, Luidy, Kazim, Fellipe Bastos, Paulo Roberto e Gabriel Girotto) e acerto definido com o zagueiro Pablo, mas sabe que Jadson é o nome capaz de empolgar torcedores por sua passagem nas temporadas 2014 e 2015. A pressão pela aquisição do meia cresce as dificuldades em assinar com o marfinense Didier Drogba, outro possível reforço de maior expressão, apesar dos 38 anos. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos