Meia do Atlético-PR tem liberdade negada e é levado ao presídio

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

  • Marco Oliveira/Site Oficial

    Luciano Cabral, meia do Atlético-PR

    Luciano Cabral, meia do Atlético-PR

Detido há quinze dias para a investigação de um assassinato do qual é acusado de ter participado, o meia Luciano Cabral, do Atlético Paranaense, viu sua situação se complicar ainda mais. Nesta quarta-feira, a justiça argentina decidiu não só apenas não lhe dar a liberdade provisória solicitada pelo seu advogado, Gustavo Nedic, mas também o transferir para o Presídio de San Rafael, em Mendoza, na Argentina. As informações são do jornalista Roberto Berdugo, do diário Dia del Sur.

Cabral estava detido na delegacia de General Alvear ao lado do pai, Juan Oscar Cabral, e de três menores de 18 anos acusados de terem matado a Joan Villegas, no dia 1 de janeiro, com golpes de pedra na cabeça. Num primeiro momento, Cabral ficou livre enquanto seu pai se apresentou como possível assassino. Ao comparecer ao lado do advogado na delegacia para prestar depoimento, acabou detido e não mais saiu. Ele teria que se apresentar ao Atlético no dia 12 deste mês.

A decisão o Juiz Sérgio Gonzáles complica ainda mais a situação do jogador, que está emprestado pelo Argentinos Juniors ao Atlético até o meio do ano. Oficialmente, o Atlético não enviou representantes para a Argentina e ainda estuda o que fará com o jogador.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos