Pesadelo tricolor! Quais são negociações em que o SP fracassou nesta janela

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

  • Carl Recine/Reuters

    O atacante argentino era um dos alvos da diretoria tricolor

    O atacante argentino era um dos alvos da diretoria tricolor

O São Paulo bem que tentou, mas ficou bem longe de conseguir contratar todos os jogadores que esperava nesta pré-temporada. Até o momento, o time de Rogério Ceni trouxe o goleiro Sidão, o meio-campista Cícero, os atacantes Neilton e Wellington Nem, e o lateral esquerdo Júnior Tavares, que era da base do São Paulo e teve os seus direitos adquiridos junto ao Grêmio.

O volante Jucilei, do Shandong Luneng, da China, também está muito próximo de fechar um acordo. A diretoria e a comissão técnica, porém, ainda vão trabalhar para contratar um centroavante. Também não está descartada a chegada de um meia. Porém, não está fácil conseguir fazer um bom negócio.

Ficaram pelo caminho as transações com alguns jogadores que foram solicitados pelo treinador e eram sonhados pela torcida. Entenda os motivos que deixaram esses atletas longe do Morumbi.

Calleri

Sempre foi visto como um jogador muito difícil de ser contratado. Porém, sem moral no West Ham, da Inglaterra, o jogador começou a se mostrar insatisfeito e disposto a voltar ao Tricolor. No entanto, os empresários responsáveis por gerenciar a carreira do atacante preferem mantê-lo na Europa e o destino mais provável para ele é o Las Palmas, da Espanha. O argentino deixou uma ótima impressão quando defendeu o São Paulo em 2016. Mesmo em apenas seis meses, ele fechou a temporada 2016 como artilheiro do time, com 16 gols, em 31 partidas.

Colmán

Era pouco conhecido do público. Depois de ser oferecido ao clube e analisado pela comissão técnica tricolor, passou a ser visto como uma excelente opção para o ataque. A diretoria negociou com o Nacional do Paraguai e chegou a fazer duas propostas pelo atacante. O jogador também foi convidado para conhecer as instalações do São Paulo e ficou disposto a jogar no Brasil. Porém, os paraguaios tentaram aumentar a pedida duas vezes e irritaram a diretoria do São Paulo, que desistiu do negócio. O jogador deve ir para o Dallas, dos EUA.

Ricardo Oliveira

Rogério Ceni nunca escondeu de ninguém a sua admiração pelo futebol do atacante santista. O presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, conversou com o mandatário alvinegro, Modesto Roma. Porém, o santista não quis liberar o jogador, que permanece na Vila Belmiro. O atacante teve duas passagens pelo São Paulo, uma 2006 e outra em 2010. No total, disputou 29 partidas oficiais pelo Tricolor e marcou 14 gols.

Felipe Melo

O volante era um sonho antigo do São Paulo. Rogério Ceni também gostaria de contar com um jogador como o meio-campista. A diretoria chegou a se reunir com representantes do atleta para negociar a contratação. Os valores pedidos pelos empresários foram superiores ao que o São Paulo pretendia pagar e o jogador fechou com o Palmeiras por três temporadas.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos