Títulos pelo Atlético-MG e convocações. Marcos Rocha espera um 2017 melhor

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro

    Marcos Rocha quer títulos com o Atlético-MG para se firmar na seleção brasileira

    Marcos Rocha quer títulos com o Atlético-MG para se firmar na seleção brasileira

Para o lateral direito Marcos Rocha, a temporada 2017 não poderia começar de forma melhor. O dono da camisa 2 do Atlético-MG foi convocado por Tite para o amistoso entre Brasil e Colômbia, dia 25, no Engenhão, em homenagens às vítimas da tragédia aérea envolvendo a Chapecoense, no fim de novembro do ano passado.

A quarta convocação na carreira é uma motivação extra para um jogador que não viveu uma grande temporada em 2016. Após anos de conquistas coletivas e individuais, Marcos Rocha não foi campeão com o Atlético no ano passado e passou muito tempo no departamento médico. Tanto que nem foi o lateral direito que mais jogou pelo clube em 2016, posto de Carlos César, com 43 partidas, duas a mais do que o titular da posição.

Passar longe do departamento médico, conquistar títulos pelo Atlético e ser convocado para a seleção brasileira. Dentro das metas traçadas por Marcos Rocha para 2017, uma já aconteceu. E isso é motivo mais do que suficiente para acreditar que a temporada vai ser bem melhor o do que anterior.

"Estou muito feliz. Não vou dizer que é reconhecimento do meu trabalho porque ano passado foi difícil, sofri com lesões. Mas pelos últimos quatro anos, fui acompanhado pelo treinador. O Tite estava no Corinthians, era nosso adversário. Hoje é o técnico da nossa seleção. É uma oportunidade que tenho para mostrar que tenho condições de fazer parte da equipe principal, com jogadores que jogam fora. É uma notícia muito boa para um começo de trabalho com um treinador novo", disse Marcos Rocha, que vê o jogo contra a Colômbia como uma chance para ganhar espaço na seleção brasileira.

"Da metade de 2016 para trás, eu fui campeão da Libertadores, quatro vezes melhor jogador da posição no Brasil, duas vezes melhor da posição na Libertadores. Isso tudo me credenciava para a seleção brasileiras. Mas estava difícil ter oportunidade, pela qualidade dos jogadores. Mas a oportunidade apareceu e quero mostrar meu trabalho, quero mostrar que posso fazer parte dos planos do treinador".

Mas para pensar em novas convocações, Marcos Rocha sabe muito bem que é preciso render no Atlético. Nada melhor dos títulos para se destacar. O lateral direto aposta muito no trabalho de Roger Machado para alcance tudo o que traçou para 2017.

"Eu já vinha pensando em sentar com ele (Roger Machado) e conversar. Pedir orientações, por ter essa vontade de voltar à seleção brasileira e vontade de sempre estar melhorando dentro de campo. É um treinador participa bastante, comunica muito com os jogadores. Tem a experiência de ter convivido com o técnico da seleção brasileiro e isso vai ajudar bastante aqui dentro do Atlético. A esperança é muito grande no trabalho dele, que possa ser um ano vitorioso, de conquistas".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos