Cartola confirma que Brendon do Paulista jogava como Heltton no RJ: "é ele"

Aiuri Rebello e Vanderlei Lima

Do UOL, em São Paulo

O ex-presidente do clube São Gonçalo, Alessandro Silva, confirmou em entrevista ao UOL que o jogador Brendon Matheus Araújo Lima dos Santos, do time sub-20 do Paulista, é na verdade  Heltton Matheus Cardoso Rodrigues, atleta que defendeu o time carioca em 2014. Heltton, que em 2017 completa 23 anos, teria atuado com a identidade falsa na disputa da Copa Paulista de juniores pelo time de Jundiaí, no interior de SP.

"Trabalhou com a gente pô, ele trabalhou aqui comigo como Heltton, é ele mesmo", afirmou o ex-dirigente em entrevista ao UOL. "Depois que ele saiu daqui eu não tive mais notícias não, entendeu? Eu só vi a notícia ontem que ele estava no Nacional SP e que depois foi para o Paulista de Jundiaí, e quando eu vi na televisão eu não entendi nada", afirma Silva. 

De acordo com o ex-presidente, o zagueiro era uma "excelente pessoa" e um bom jogador. "No profissional aqui a gente não aproveitou ele na época, no outro ano mudou treinador, mudou tudo não aproveitamos o grupo, alguns jogadores foram para outros lugares, quando muda treinador sempre muda né, aí ele sumiu", diz o ex-presidente, que afirma não entender o que aconteceu.

O caso foi revelado depois que o Batatais, que perdeu por 5 a 1 uma vaga para o time de Jundiaí na final da Copa Paulista no domingo (22), entrar com uma denúncia na FPF (Federação Paulista de Futebol) dizendo que tinha informações de que o zagueiro do time adversário era um "gato", termo para designar jogadores de futebol que fraudam a própria idade para jogar. O limite de idade para participar da Copa São Paulo é 20 anos.

Brendon, que na realidade está preso preso no Rio de Janeiro, tem 19 anos. Heltton nasceu em 1994 e Brendon, em 1997. Ambos são de São Gonçalo, no Rio de Janeiro, e seriam primos.

Trajetória como "gato" começou no Sport Clube Santa Cruz (RN) 

Nos registros da CBF, Heltton aparece pela primeira vez em 2014 como atleta do São Gonçalo Futebol Clube, único time pelo qual tem passagem oficial. Depois, o atleta Heltton "desaparece" e não foi mais registrado em nenhum time. 

Em julho de 2015, cerca de um ano depois do desligamento do São Gonçalo, o zagueiro, já com os documentos de Brendon, é registrado no Sport Club Santa Cruz, da cidade de Santa Cruz, no interior do Rio Grande do Norte. De acordo com pessoas ligadas à federação local, o zagueiro disputou o campeonato estadual sub-20 com o time, que chegou ao vice-campeonato. Ele desligou-se do clube em outubro do mesmo ano, após o término da competição.

De acordo com a FNF (Federação Norte-rio-grandense de Futebol), o Sport Club Santa Cruz teve as atividades do departamento de futebol suspensas no início de 2016, desde quando o time não disputa mais nenhum campeonato.

Depois disso, o zagueiro aparece registrado ainda como Brendon no time paulista Nacional em abril de 2016. Segundo Ayrton Santiago, presidente do clube, o zagueiro ficou cerca de três meses no time amador. "O Nacional tinha um investidor aqui ano passado e esse investidor colocou o Alberto [empresário do alteta] para gerenciar a parte do futebol, ele que trouxe este jogador que veio do Rio Grande do Norte", diz Santiago. Depois do fim do acordo, o empresário levou o zagueiro e outros atletas para o Paulista.

Em setembro do ano passado, ele começou a jogar no Paulista. 

Com a confusão, a FPF anunciou nesta segunda-feira que o Paulista está desclassificado que a final da Copinha será entre o Corinthians e o Batatais, que fez a denúncia e perdeu para o Paulista a semifinal. O time de Jundiaí nega que soubesse do possível "gato" e diz que também é vítima no caso.

Jogador não se apresentou ao clube depois de acusação de ser "gato"

O jogador não se reapresentou ao Paulista nesta segunda-feira (23), em Jundiaí, e de acordo com seu empresário, o ex-atacante Alberto, não tem respondido às tentativas de contato por parte do agente e do clube paulista. O clube e Alberto já registraram, inclusive, um Boletim de Ocorrência na delegacia em Jundiaí para comunicar o desaparecimento do atleta. No BO, eles explicam a denúncia de falsidade ideológica contra o atleta, além de registrar que não conseguem contato com Brendon desde o início da manhã de hoje.

"A apresentação estava marcada. Ele não se apresentou no Paulista e está incomunicável. Não tenho contato com ele. Eu estou surpreso como os atletas e amigos meus estão surpresos. A cidade está surpresa, todos estão perplexos com a situação e estamos procurando solucionar. Tem que ter uma verdade aí, custe o que custar a gente quer a verdade". 

Alberto, responsável por levar o jogador ao Paulista, explicou como conheceu Brendon. "Ele chegou com o primo para fazer uma avaliação no Nacional-SP, aí ele passou por um período de avaliação", diz. 

"Depois do período de avaliação, ele ficou conosco e foi evoluindo. Ele tinha muita deficiência técnica a gente entendia que pela idade era normal, porque ele não tinha passado por muitos clubes de base e aí ele foi evoluindo, evoluindo...Tanto é que o projeto, eu levei todo mundo pra lá, inclusive o treinador também o Humberto, que está no Paulista, eu levei pra lá. E agora imagina a surpresa pra gente, ele está há um ano com a gente. Agora, eu não posso afirmar que ele sumiu porque ele pode estar correndo atrás de documentação de advogados, enfim, alguma coisa que a gente não sabe. Ele está incomunicável eu não consegui falar com ele e nem com o primo."

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos