Paulista é eliminado da Copinha; Corinthians pegará Batatais na final

Bruno Freitas

Do UOL, em São Paulo

O Paulista foi eliminado nesta segunda-feira (23) da Copa São Paulo de Futebol Júnior devido à descoberta do "gato" Brendon Matheus Araújo Lima dos Santos, que utilizou documentos falsos para adulterar sua idade a fim de disputar a competição. 

Com a eliminação do Paulista, que estava classificado à final da Copinha, na próxima quarta-feira (25), no Pacaembu, o Batatais disputará a decisão contra o Corinthians. A eliminação foi confirmada pelo presidente do Tribunal de Justiça Desportiva, Antônio Olim, em entrevista na sede da Federação Paulista de Futebol (FPF).

O presidente do TJD afirmou que o Paulista não será punido com a suspensão de cinco anos sem disputar a Copinha, conforme prevê o regulamento. Ele justificou a decisão dizendo não haver "má-fé" do clube no caso, embora os dirigentes do time de Jundiaí ainda continuarão sendo investigados. Olim chamou o jogador de "criminoso".

"Agora não é hora de punir o Paulista, a maior punição dele é não poder jogar contra o Corinthians, não houve má-fé. Quem mais foi punido foram os jogadores do Paulista que não vão poder jogar, por causa de, não vou nem chamar de jogador, um criminoso", afirmou Olim, que fez carreira como delegado na Polícia Civil e é deputado estadual pelo PP. 

Questionado sobre quais os elementos utilizados para comprovar a adulteração de documentos, o presidente do TJD respondeu: "A maior prova de que ele é um criminoso é que ele não apareceu aqui hoje. Não dá nem para chamá-lo de atleta, ele é um criminoso". 

Antônio Olim afirmou que o Batatais recebeu a denúncia do "gato" na sexta-feira de São Gonçalo, no Rio de Janeiro. A FPF tomou conhecimento do caso no sábado e interpelou o Paulista, que acabou escalando o jogador após acareação. Seu reserva, inclusive, estava com caxumba e não teria condições de disputar a semifinal contra o Batatais. 

A situação e a eliminação da Copa São Paulo deixaram os integrantes do Paulista indignados. "Se soubesse onde ele está eu entregaria ele para a polícia. Por mim sairia algemado", afirmou o presidente do clube, José 'Pepe' Verdugo Diaz.

"Infelizmente não tinha muito o que fazer, felizmente não tivemos que pagar multa, nada, mostramos que estamos dentro da lei, mas é muito difícil você bancar um clube como este e chegar na final e ser excluído."

Desde o início da denúncia do Batatais, Paulista e empresário do jogador, o ex-atacante Alberto, afirmam ser vítimas na acusação de adulteração de documentos. O clube, inclusive, chegou a registrar um boletim de ocorrência após o sumiço do jogador nesta segunda. Ele morava na sede do clube e desapareceu deixando todos os seus pertences.

'Brendon' utilizou documentos do primo preso

Bruno Freitas/UOL
Heltton Matheus (esq.) utilizou documentos do seu primo, Brendon Matheus, preso no RJ

O jogador da equipe sub-20 do Paulista de Jundiaí copiou os documentos do primo mais novo, chamado e nascido em 1997, para poder seguir atuando como amador. O nome verdadeiro do atleta é Helton Matheus Cardoso Rodrigues, com data de nascimento em 24 de março de 1994.

Segundo apurou a reportagem do UOL Esporte, a adulteração de documentos aconteceu antes da prisão de Brendon, atualmente detido no Rio de Janeiro em razão de envolvimento com o tráfico de drogas. Depois da manobra, Helton veio ao futebol paulista, onde defendeu inicialmente a camisa do Nacional da capital.

A direção do Paulista soube da denúncia no sábado, um dia antes da semifinal da Copa São Paulo contra o Batatais. O clube de Jundiaí foi confrontado pela Federação Paulista e então cobrou esclarecimentos do zagueiro.

Após ouvir o atleta, os dirigentes decidiram por sua escalação na manhã de domingo - o Paulista venceria a partida por 5 a 1, garantindo vaga na decisão, contra o Corinthians.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos