Finalista da Copinha, Corinthians viu apenas 3 promessas vingarem após 2014

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

    Malcom e Arana tiveram chances no time titular do Corinthians: raridade

    Malcom e Arana tiveram chances no time titular do Corinthians: raridade

Chegar à decisão da Copa São Paulo de Futebol Júnior não é garantia de oportunidades no time profissional. Finalista pela quarta vez seguida da competição, o Corinthians comprova tal afirmação: desde 2014, poucos atletas que disputaram o título conseguiram jogar mais de dez vezes na equipe principal. 

Nos últimos anos, o Corinthians viu quase 40 jogadores jogarem a final do torneio. E somente o atacante Malcom (70 jogos), o lateral esquerdo Guilherme Arana (19 partidas) e o zagueiro Pedro Henrique (14 confrontos) tiveram uma sequência na equipe titular do Corinthians.  O volante Maycon faz parte da lista, com 15 jogos, mas perdeu espaço e acabou emprestado à Ponte Preta - hoje, está de volta ao clube à espera de mais chances.

Outros sete fazem parte do elenco profissional e buscam espaço: o goleiro Caíque, o zaguero Léo Santos, o lateral direito Léo Príncipe, os volantes Warian e Maycon, além do meia Rodrigo Figueiredo e do atacante Léo Jabá.

Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Pedro Henrique fez 14 jogos no time de cima

Finalistas pelo segundo ano seguido, Filipe (goleiro), Del´Amore (zagueiro) e Pedrinho (meia) aguardam uma chance para subir para o time profissional. O volante Mantuan e o atacante Carlinhos, por sua vez, já foram inseridos ao grupo de Fábio Carille. Além disso, estarão em campo na decisão da Copinha desta quarta-feira, contra o Batatais.

Os outros jogadores corintianos que disputaram as decisões de 2014, 2015 e 2016 estão longe do clube ou têm futuro indefinido no próprio clube, casos de Gabriel Vasconcelos e Léo - a dupla de ataque retornou de empréstimos no fim do ano passado.

A maioria dos finalistas deixou o Corinthians sem ao menos disputar uma partida pelo time de cima. Casos do zagueiro Felipe Zang, do time de 2014, o meia Matheus Cassini, campeão em 2015, e o atacante Claudinho, de 2016. O trio defende hoje Cianorte, Siracusa-ITA e Santo André, respectivamente.

Já o meia Matheus Pereira fez o sentido inverso. O atleta ganhou uma chance de Tite entre os titulares em um jogo da Copa Brasil 2015, contra o Santos - em janeiro, esteve no grupo da Florida Cup. De volta ao time sub-20, ele virou vilão do time na Copinha 2016 ao errar uma cobrança de pênalti com cavadinha. Meses depois, foi negociado com o futebol italiano.

Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Campeão, Cassini não jogou no profissional

Dinheiro em caixa

Sem aproveitar a base, o Corinthians também ficou longe de ter retorno financeiro com suas promessas. Com os três times finalistas, o clube fez caixa com apenas dois jogadores: Malcom e Cassini.

No primeiro caso, o Corinthians tinha 30% dos direitos econômicos e recebeu R$ 13,2 milhões do Bordeaux-FRA. O valor recebido com a transferência de Cassini para o Palermo-ITA chegou a R$ 3,5 milhões.

Na venda de Matheus Pereira à Juventus, o clube não embolsou nada, pois tinha apenas 5% dos direitos econômicos. Nesse cenário, a diretoria optou por manter a proporção e ganhar com negociações futuras. 

Lista de jogadores que nunca jogaram no profissional

2014
 
Henrique (goleiro): Confiança-SE
 
Lucão (lateral direito): sem clube
 
Felipe Zang (zagueiro): Cianorte
 
Fabiano (volante): Volta Redonda
 
Ayrton (volante): Tigres
 
Lucas Douglas (atacante): Inter de Limeira 
 
Leandro Augusto (atacante): sem clube
 
Bryan (atacante): Famalicão-POR
 
 
2015
 
Rafael Castro (zagueiro): Ferroviária
 
Yan (zagueiro): Resende
 
PC (volante): Velo Clube
 
Matheus Vargas: Audax
 
Marcinho (meia): São Bernardo
 
Matheus Cassini (meia): Siracusa-ITA
 
Lauder (atacante): Novoperário-MS
 
Gabriel Vasconcelos (atacante): Corinthians
 
 
2016
 
Dawhan (zagueiro): CSA
 
Guilherme Romão (lateral esquerdo): Corinthians
 
Claudinho (atacante): Santo André
 
 

Jogadores com poucas chances

2014
 
Zé Paulo (meia): Academico Viseu-POR (seis jogos no profissional)
 
Léo (atacante): Corinthians (oito jogos no profissional)
 
2015
 
Rodrigo Sam (zagueiro): Água Santa (um jogo no profissional)
 
2016
 
Gustavo Tocantins: Estoril-POR (quatro jogos no profissional) 
 
Matheus Pereira (meia): Empoli-ITA (dois jogos no profissional)

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos