Vampeta abre as portas do Audax para "gato" da Copinha: "não matou ninguém"

Brunno Carvalho e Vanderlei Lima

Do UOL, em São Paulo

O futuro de Heltton Matheus Cardoso Rodrigues pode contar com uma ajuda de Vampeta. O ex-jogador do Corinthians afirmou que pretende ajudar o zagueiro, desaparecido desde que veio à tona o caso de "gato" na Copa São Paulo. O atleta disputou o torneio pelo Paulista com o nome de Brendon Matheus Araújo Lima dos Santos, seu primo.

"O jogador está errado na atitude dele, mas não vamos execrar o moleque, porque ele está com o sonho de ser jogador de futebol", afirmou Vampeta ao UOL Esporte. "Ainda tem o fato de ele ser negro, que já sofre discriminação normalmente, então vou dar uma oportunidade para ele, arrumar um advogado".

A falsificação dos documentos de Heltton resultou na eliminação do Paulista na Copa São Paulo de Futebol Júnior. A equipe havia se classificado para a final do torneio, mas perdeu a vaga para o Batatais, que enfrentará o Corinthians nesta quarta-feira (25).

"Lógico que ele deve pagar por seus erros, mas não vamos prejudicar o moleque, acabar com a carreira dele", continuou Vampeta. "Vou dar a oportunidade de ele jogar lá em Osasco. Não estou defendendo que tem que ser gato, mas vamos dar o exemplo para esse moleque. Ele não roubou, não usou uma arma para matar alguém, só tem o sonho de ser jogador de futebol".

Vampeta afirma que assim que Heltton resolver seus problemas com a Justiça e estiver apto a voltar a jogar futebol, receberá um contrato para atuar pelo Audax Osasco, que tem o ex-jogador como presidente. "Quem é de cor sabe, vão sacrificar esse menino e daqui a pouco ele não tem mais chance de jogar em nenhum lugar", completou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos