Sobreviventes recebem homenagem tímida em Engenhão vazio

Pedro Ivo Almeida e Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

Um Engenhão vazio acompanhou uma tímida homenagem aos sobreviventes da tragédia com o avião da Chapecoense. Antes do duelo entre Brasil e Colômbia, Alan Ruschel, Jackson Follmann, Neto e Rafael Henzel estiveram no gramado do Engenhão para participar da cerimônia, nesta quarta-feira (25).

Diferentemente do visto no amistoso entre Chapecoense e Palmeiras, a homenagem foi bem rápida. Os quatro sobreviventes brasileiros estiveram no gramado, receberam uma placa dos presidentes de Chapecoense e Atlético Nacional e flores dos jogadores das duas seleções.

Nas arquibancadas, um pequeno público acompanhava a cerimônia, pouco mais de 18 mil pessoas. Com ingressos de até R$ 150, o Engenhão recebeu um público modesto, com menos de 20 mil pessoas. Apesar disso, os presentes se mostravam empolgados com a homenagem, soltando o grito de "vamos, vamos, Chape".

O cerimonial foi conduzido por Rubens Lopes, presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ). Marco Polo del Nero, presidente da CBF, não compareceu ao evento.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos