Robinho discreto, zaga e Dudu em alta: quem aproveitou a chance com Tite

Pedro Ivo Almeida, Vinicius Castro e Rodrigo Mattos

Do UOL, no Rio de Janeiro

Tite disse desde o início que estaria satisfeito com um empate, mas arrancou mais uma vitória – a sétima em sete jogos à frente da seleção brasileira. E o amistoso beneficente diante da Colômbia, na última quarta-feira (25), no Engenhão, rendeu bem mais que uma estatística. O técnico ganhou opções para futuras convocações em um jogo em que contou apenas com jogadores que atuam no Brasil.

Em uma espécie de "prova" para aspirantes à equipe principal, ao menos cinco jogadores tiveram participações destacadas diante de Tite e sua comissão técnica: o goleiro Weverton, os zagueiros Geromel e Rodrigo Caio, o volante Walace e o atacante Dudu.

"O grupo não está fechado. Sei que o momento de cada atleta é importante e não vou deixar de acompanhar, esteja na China, na Europa ou no Brasil. Eles me deram informações importantes sim. A primeira oportunidade é sempre diferente, e colocaram dúvidas. Dúvidas boas", frisou Tite.

Mais experientes no grupo que enfrentou a Colômbia, os três representantes da zaga mostraram que não pretendem sair da lista de dúvidas de Tite no setor. Weverton atuou bem durante os 90 minutos e provou ser a opção imediata para a vaga do titular Alisson.

Já Geromel e Rodrigo Caio provaram que a disputa pela quarta vaga da zaga – além dos garantidos Miranda, Marquinhos e Thiago Silva – está aberta. Os dois não quiseram saber do discurso de jogo festivo e fecharam a defesa diante dos colombianos.

No meio, o jovem Walace surpreendeu. Bem na Olimpíada, repetiu a atuação na seleção principal e já surge como opção para as próximas convocações.

Mais à frente, o campeão brasileiro Dudu ratificou a boa fase e ainda foi premiado com o gol da vitória. Bem fisicamente, ajudou na marcação, deu opções em diversas áreas do ataque e foi elogiado pela comissão técnica.

"Fiquei muito feliz pelo gol e pela vitória. Espero ter mais uma oportunidade no futuro. Volto ao Palmeiras e sigo meu trabalho. Sabemos que o Tite está observando", disse Dudu.

Quem não brilhou como esperado foi Robinho. Mesmo acostumado com a camisa da seleção, o atacante do Atlético-MG teve atuação discreta e ainda deixou o campo com dores musculares.

Dupla se destaca mesmo no banco

E não foram apenas aqueles que entraram em campo que subiram na avaliação do técnico Tite. Alguns reservas, como Henrique e Marcos Rocha, puderam sair tranquilos do período com a seleção.

"Tenho absoluta certeza que posso contar com um jogador que nem entrou em campo, o Henrique. Mostrou no treino domínio absoluto de posição-função, uma qualidade extraordinária. Eu queria ter dado uma oportunidade ao Marcos Rocha, que há dois anos faz um grande trabalho, mas não dava", finalizou o comandante da seleção.

Após o amistoso da última quarta, Tite volta a convocar a seleção brasileira em março. A equipe volta a campo em compromissos das Eliminatórias – no final do mês, contra Paraguai e Uruguai. A seleção ainda fará mais dois jogos em junho, quatro entre agosto e outubro e mais dois em novembro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos