Sem Cirino e com 'velho problema'. Inter acelera busca por atacantes

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Bruno Cantini/Atlético-MG

    Atacante Carlos, do Atlético-MG, é o alvo do momento para o ataque do Inter

    Atacante Carlos, do Atlético-MG, é o alvo do momento para o ataque do Inter

O Inter começa 2017 com o mesmo problema do ano passado: fazer gols. Depois de marcar só uma vez nos dois jogos-treino que realizou, a direção vermelha intensifica a busca por reforços no setor ofensivo. E de cara já teve uma decepção na investida por Marcelo Cirino. 

Dos nomes já apresentados, apenas Roberson atua naquela faixa de campo. E mesmo titular nas duas atividades contra adversários até agora, não conseguiu impressionar ou mesmo balançar as redes.
 
O Colorado terminou o Brasileirão passado como terceiro pior ataque da competição. Fez mais gols apenas que Figueirense e América-MG. E ainda perdeu um de seus artilheiros: Vitinho, que voltou ao CSKA, da Rússia. 
 
Ariel está lesionado, Sasha também, e a direção do Internacional está decidida a investir na chegada de um ou dois jogadores para o setor. Mas não teve sucesso nas investidas até o momento. 
 
Na quinta-feira, o Colorado saiu do negócio por Marcelo Cirino. O Atlético-PR sequer quis ouvir a proposta de empréstimo pelo jogador. Considerava a Série B uma vitrine ruim. Flamengo, Doyen Sports e o jogador estavam em acordo da ida para Porto Alegre. Mas não foi possível. 
 
Agora, Carlos, do Atlético-MG, virou prioridade. A disputa neste caso é com o Vitória, que tem um acordo verbal com o atleta. O Inter, porém, tem a informação que ele prefere atuar em Porto Alegre e aguarda uma resposta da sondagem realizada. Até o fim da semana, a negociação deve prosseguir. 
 
Para o time que começa o Gauchão, no próximo domingo às 17h (horário de Brasília), contra o Veranópolis, a tendência aponta para Roberson e Diego como dupla titular. Nico López corre por fora na briga por oportunidade, já que perdeu um treinamento na semana por conta de uma pancada no jogo-treino diante do Tubarão-SC. 
 
"É difícil pelo entrosamento, time novo, isso dificulta no início da temporada. Os treinos estão intensos, a maioria das vezes com dois turnos, acabamos sofrendo um pouco pelo entrosamento. É normal por desconhecer o companheiro, mas ajustamos com tempo e tenho certeza que vamos melhorar ali na frente", disse o meia Andrigo. "Jogar no Inter é pressão. O futebol são 11, a responsabilidade é de todo mundo, não tem culpa no setor ofensivo e defensivo. É assim que sempre fomos e continuará sendo", completou. 
 
Hoje as opções de Antonio Carlos Zago para o ataque são: Roberson, Diego, Brenner, Nico López, Aylon, Ariel e Eduardo Sasha. Os dois últimos só voltam dentro de algum tempo. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos