Eduardo Baptista define Prass como titular, mas esconde opção por atacante

Do UOL, em São Paulo

  • Cesar Greco/Fotoarena

    O goleiro Fernando Prass durante amistoso do Palmeiras contra a Chapecoense

    O goleiro Fernando Prass durante amistoso do Palmeiras contra a Chapecoense

Eduardo Baptista definiu que Fernando Prass será o goleiro titular do Palmeiras. Depois de esconder a sua escolha na sexta-feira, o técnico oficializou a decisão neste domingo, após o empate por 1 a 1 com a Ponte Preta, no Allianz Parque.

Afastado desde o meio do ano, quando se machucou na preparação da seleção brasileira olímpica, Prass recuperou a forma física ideal após ver Jaílson ser fundamental na reta final da conquista do Brasileirão.

"O Prass vai ser o goleiro. Conversei com ele e com o Jaílson junto com o Oscar (preparador de goleiros). É a decisão. São dois goleiros de muita qualidade. Importante para o Palmeiras. Marcaram o nome na história. É difícil escolher entre eles, mas fácil de fazer porque sabe que vai estar sendo justo", explicou o comandante. 

Apesar de voltar aos gramados, o goleiro não recuperará a condição de ser capitão da equipe. O técnico já anunciou que o dono da faixa será Dudu, que virou referência em campo com Cuca no ano passado.

Se no gol Eduardo Baptista já escolheu seu titular, no ataque, ele ainda preferiu manter o mistério e não disse quem vai ser o homem gol alviverde. Alecsandro, Willian e Barrios brigam por um lugar

"A gente ainda tem o Alecsandro, que não jogou hoje e foi por uma opção minha de fazer rodízio. Barrios e Willian ainda não tinham jogado. Estamos observando e não é nesse jogo que a gente vai definir. A gente tem condições de analisar com calma e escolher o que for melhor. A gente tem tempo para tomar a decisão", completou o treinador.

O Palmeiras ainda faz mais um jogo-treino nesta segunda-feira (30) na Academia de Futebol, contra o Nacional. A estreia no Paulista está marcada para o dia 5 de fevereiro, contra o Botafogo-SP. 

O comandante analisou o amistoso e disse que a equipe vai precisar melhorar a sua pontaria para aproveitar o que cria.

"O primeiro tempo foi muito bom. Com infiltração, bola por dentro, troca de meia com extrema, penetração do Willian, ultrapassagem dos laterais, segurança da defesa, mesmo estando em cima da Ponte Preta, sofremos apenas um contra-ataque. A ideia é não sofrer nenhum. Conseguimos ser equilibrados, objetivos, teve quase 70% de posse. Oito finalizações só no primeiro tempo. No segundo, criamos mais chances e começamos a trocar e acaba desorganizando um pouco. Criamos chances, tivemos o controle", analisou.

"Foi como teste, para o encerramento de uma pré-temporada, muito bom em todos os quesitos. Até a lição de quando tem o domínio total, você precisa converter isso em gols e fazer placar elástico. O jogo de hoje nos deu, além da análise tática e técnica, uma lição: precisamos converter os gols", completou. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos