Colombianos encaram carona e ingresso caro para Atlético-PR x Millonarios

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL, de Curitiba (PR)

  • Napoleão de Almeida / UOL

Praticamente um mês de viagem depois, Tatiana Murcia, seu namorado Oscar Triana e o irmão Andrés Murcia chegaram ao Brasil para ver o time do coração estrear na Libertadores contra o Atlético-PR. Na bagagem, muitas histórias, paixão pelo Millonarios, da Colômbia, e uma reclamação: "Que ingresso caro!"

Eles e muitos outros colombianos já estão nas cercanias da Arena da Baixada, onde os times duelam nessa quarta-feira, 21h45, horário de Brasília. Para tentar se manter e conseguir comprar as entradas de R$ 120, tentam vender artesanatos e contam com a simpatia dos brasileiros. "As pessoas são muito gentis e amáveis com a gente aqui", disse Tatiana.

Ela e Oscar seguem o Millonarios por onde for. "Os do Nacional são maioria, mas nós somos mais fanáticos. Levamos o dobro de gente", fala um empolgado Oscar, que pegou a namorada e o cunhado e literalmente meteu o dedo na estrada: foram pedindo carona até chegarem a Curitiba.

"Foi difícil, por que para um até vai, dois também, mas três é complicado", relatou Tatiana. Ela contou que eles saíram no dia 5 de janeiro de Bogotá e foram caminhando e pedindo carona. Desceram ao Equador, foram para o Peru, atravessaram a Bolivia e chegaram ao Brasil por Corumbá, no Mato Grosso do Sul. Estão hospedados num hostel no centro de Curitiba. "É o que conseguimos bem baratinho."

Moradores da Zona 5 de Bogota, uma região humilde na capital Colombiana, os três levaram o susto ao chegarem nas bilheterias. "Em Bogotá gastamos 30.000 COPs por ingresso, algo como R$ 15", reclamou Oscar, enquanto oferecia pulserinhas para quem passava ao redor, "Qualquer ajuda é bem vinda, não tem uma platica aí?"

Rapidamente viraram atração na frente da Arena, entrevistados por emissoras de TV que por ali estavam. Souberam de um bar de um colombiano nos arredores do estádio, que vende cerveja para os atleticanos em dia de jogo. Foram até o local, mas deram azar: não só o dono não estava como é torcedor do Independiente Medellín, um dos rivais do Millonarios. "É como aqui. Ainda ontem estávamos ali com eles e passou la gente de Paraná xingando", lembrou Oscar, falando do trânsito dos paranistas para o jogo do último domingo pelo Paranaense, já que Arena e Vila Capanema ficam na mesma rua.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos