Com ajuda da Odebrecht, Arena Corinthians alcança 10% de CIDs vendidos

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Bruno Cantini/Atlético

A Arena Corinthians superou a marca de R$ 46 milhões de CIDS (Certificados de incentivo ao desenvolvimento) vendidos, equivalente a aproximadamente 10% do valor total autorizado. 

Ao todo, a Prefeitura permite a venda de R$ 400 milhões em CIDs, mas o número é reajustado com base na inflação (índice IPCA). Hoje, o máximo permitido ao Corinthians em venda dessas certidões é de aproximadamente R$ 470 milhões, número já corrigido. 

A Odebrecht, construtora do estádio, é o principal responsável pela compra dos CIDs. Ao todo, sete empresas fizeram aquisições desde 2015, mas muitos são consórcios integrados pela própria empresa. Na prática, a Odebrecht faz a aquisição a partir da dedução de tributos e reduz o valor que tem a receber do Corinthians pela construção da Arena. 

Atualmente, a dívida completa referente à Arena Corinthians (soma o valor devido ao BNDES, empréstimos feitos pela Odebrecht e juros de financiamento) é de cerca de R$ 1,6 bilhão. 

O que são CIDs

As certidões foram emitidas pela prefeitura de São Paulo, com base em lei municipal, e podem ser compradas por interessados em pagar tributos municipais (IPTU e ISS) com esses títulos. A emissão das CIDs teve início em 2011, mas a conclusão atrasou. Os primeiros papéis foram vendidos em 2015.

Embora seja alvo de ação do Ministério Público, a emissão dos CIDs foi autorizada por decisão de primeira instância em São Paulo. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos