Diretor diz que clubes ofereceram atletas sem condições de jogo à Chape

Do UOL, em São Paulo

  • Danilo Lavieri/UOL

O diretor de futebol da Chapecoense, Rui Costa, contou nesta segunda (30), que o clube catarinense precisou driblar pessoas oportunistas após a tragédia de avião com o elenco do clube, na qual 71 pessoas morreram há dois meses.

Rui Costa afirmou que clubes ofereceram jogadores sem condições de atuar. "Trabalhamos em um mercado que, por vezes, não tem sensibilidade para entender a situação da Chapecoense. Tem gente que ofereceu jogador que nem tem mais como jogar profissional, mas precisamos falar das coisas positivas. Construímos parcerias muito honestas, teve uma parte que viu como oportunismo, mas conseguimos driblar isso, disse o diretor de futebol em entrevista ao Fox Sports.

O dirigente ainda explicou que Ronaldinho Gaúcho nunca foi oferecido oficialmente para o clube. Sem time, boa parte de torcedores pediam a contratação de Ronaldinho logo após o acidente com o avião da Chape.

"Eu posso dizer que muita gente usa nomes de jogadores profissionais. Infelizmente é usado o nome do atleta. Profissionalmente não houve contrato quanto a isso. Falaram sobre isso depois da tragédia falando sobre isso. Nunca contamos com o que é improvável ou promessa. Trabalhamos concretamente com os jogadores que vínhamos monitorando", explicou.

Rui Costa também elogiou o trabalho do técnico Vagner Mancini. "A relação deve ser profissional. Fui contratado para desenvolver um trabalho profissional. Fizemos muitas parcerias com vários clubes. Ontem eu comentava com o Mancini, impressionante como ele rapidamente conseguiu dar uma cara para o time. Um time que ainda precisa de coletividade, mas ainda tem uma cara muito dentro".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos