Mesmo com Santos na Libertadores, Renato não vê Paulista em segundo plano

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

  • Ivan Storti/ Santos FC

    O volante Renato, do Santos

    O volante Renato, do Santos

Em 2017, o Santos tem a oportunidade de se tornar o clube brasileiro com maior número de títulos na Copa Libertadores. Porém, mesmo na disputa pelo tetra continental, um dos líderes do alvinegro praiano não quer ver a equipe menosprezar o Campeonato Paulista.

"O foco nosso é a cada campeonato fazer o melhor, respeitando sempre todos os adversários. A gente sabe que é difícil, mas vamos em busca das conquistas. O Santos é grande. Então, é claro que o foco maior é a Libertadores, um campeonato em que vamos tentar o tetra. Mas tanto no Paulista quanto no Brasileiro e em outros campeonatos que formos disputar, queremos estar lá em cima para buscar o título", afirmou o volante, que destaca a importância do estadual para a torcida.

"Os quatro grandes clubes [Santos, São Paulo, Corinthians e Palmeiras] têm obrigação. A gente sabe que às vezes falam que o Paulista não tem muita importância, mas se você cai na primeira fase o torcedor fica bravo, porque quer ver o time campeão. Não é só com o Santos, os outros times também têm essa responsabilidade de chegar à final e vamos brigar para estarmos na decisão", prometeu o jogador.

Experiente, o meio campista, de 37 anos, não se ilude com a boa apresentação da equipe no amistoso de sábado, contra o Kenitra, do Marrocos, quando o seu time ganhou por 5 a 1. Renato vê margem para o time melhorar antes da estreia no Paulista, na sexta-feira, na Vila Belmiro, contra o Linense.

"Vamos trabalhar essa semana ainda e na sexta estaremos prontos. Esperamos contar com o apoio do torcedor e, jogando em casa, vamos respeitar o Linense e procurar sair com a vitória. Sabemos que no Paulista é importante você confirmar os três pontos quando se joga em casa, mas sempre respeitando o adversário", destacou o jogador.

Porém, o jogador não esconde a empolgação com o elenco do Santos, que nesse ano conta com os reforços do zagueiro Cleber, do lateral-direito Matheus Ribeiro, do volante Leandro Donizete e dos atacantes Vladimir Hernández, Kayke, Thiago Ribeiro e Bruno Henrique.

"É uma equipe que manteve a base, a espinha dorsal. Vamos contar reforços pontuais e isso é importante. Disputaremos campeonatos difíceis, como o Brasileiro e a Libertadores, em que há viagens longas e desgaste. Assim, esperamos que quando perdermos jogadores por cansaço, quem entrar vá manter o nível. Vimos no ano passado que perdemos jogadores que serviam a seleção e conseguimos nos manter lá em cima e brigar. Sabemos da responsabilidade que temos, todos são importantes. Esperamos sermos mais fortes do que no ano passado. Claro que os reforços vão precisar de tempo para entrosar, esperamos que seja o mais rápido possível", disse Renato.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos